Pasto não é lugar para Galo!

 

E foi o que aconteceu neste domingo. O Galo foi jogar fora de seus domínios, em um pasto na cidade de Patos de Minas, e conseguiu um empate, em uma atuação nada convincente.

 

CgRDDOjWsAAoGeG
Foto: Gabriel Duarte

 

Os clubes de Patos, uma ótima cidade aliás, deveriam cuidar melhor do gramado dos estádios. Na verdade, na verdade, gramado era o que menos se encontrava naquele lugar, vi muita areia, muita terra pintada de verde e muito buraco, um horror! Um absurdo times profissionais terem que atuar ali.

 

CgRCZ3fWcAAREU9
Fotos: Gabriel Duarte

CgRB6rqW8AIpEf6

 

 

 

 

Muitos dizem que o gramado era ruim para os dois times em campo. Sim, é verdade, no entanto, um dos clubes é muito mais técnico e está acostumado a jogar em bons gramados, onde a bola rola, onde conseguem dar um toque diferenciado, onde conseguem prever onde a bola cairá. Até o gramado dos campos de treinamento da Cidade do Galo são infinitamente melhores do que o do estádio Bernardo Rubinger. Queiram ou não, o gramado ruim beneficia o pior futebol!

 

Mas vamos falar sobre o jogo! Juntando as condições do gramado com a atuação apagada e comprometedora de alguns jogadores do Atlético, a URT conseguiu seu primeiro gol aos 4 minutos do primeiro tempo, depois de uma falta mal batida por Marcos Rocha, Balotelli arrancou em direção ao gol e contou com outra falha de Rocha ao tentar lhe arrancar a bola no contra ataque, que sobrou na frente para o atacante da URT concluir em gol, com Victor mal posicionado.

 

O Galo empatou logo em seguida, aos 18 minutos, com um golaço de Douglas Santos, que chutou uma bomba de fora da área! Um dos mais belos gols do Campeonato Mineiro!

 

image
Foto: Bruno Cantini

 

No segundo tempo, aos 11 minutos, Ramos, após batida de escanteio e falhas de Victor e de Douglas Santos, escora de cabeça e manda a bola para o fundo das redes. Gol da URT, 2 x 1.

 

Aos 14 minutos, Leonardo Silva é derrubado dentro da área após um empurrão de Ramos da URT. Pênalti que o atacante Lucas Pratto perdeu, isolando a bola para cima. No chute, notou-se grande quantidade de poeira erguida na marca do pênalti, a bola provavelmente estava em mais um buraco do gramado. O fato é que o atacante do Galo perdeu o seu primeiro pênalti na carreira.

 

O Galo só consegue empatar o jogo aos 31 minutos da fase complementar, após uma bela escorada de Pratto, que encontrou Clayton sozinho na área e empurrou a bola com muita categoria para o gol.

 

O empate, ao final, não foi ruim! Na minha opinião, o Galo entrou bem escalado, mantendo a coerência! Com 3 volantes e Jr. Urso (que desta vez estava apagado) jogando mais à frente. A dupla de ataque foi inicialmente formada com Pratto e Clayton. Robinho ficou de fora no início, nada mais do que normal para um campo horroroso como este. Aguirre foi bem nas substituições, quando tirou Cazares (que nada produziu) e Eduardo para colocar Robinho e Dátolo. As substituições surtiram efeito e o Galo cresceu de produção, principalmente com Dátolo no meio distribuindo as bolas. Ao final, entrou Capixaba no lugar de Clayton, porém não teve tempo para mostrar seu futebol.

 

Voltemos agora, nossas atenções para a próxima semana no Independência, onde em um gramado digno de nosso Galo, enfrentaremos novamente a URT, e aí sim! Vamos cravar nossa participação na final do Mineiro, a octagésima, desde o início do campeonato.

 

Vamos Galo!!!!!!!

 

Por Leo Koscky

Siga-me no Twitter: @leokoscky