El Turco exalta poder ofensivo do Galo e fala sobre rodízio: “Cuidado com quem joga”

Foto: Pedro Souza/Atlético

O treinador destacou a dura sequência de jogos para explicar os jogadores poupados e ainda afirmou que não vê grande mudança no nível de atuação

O Atlético abriu uma grande vantagem na terceira fase da Copa do Brasil após superar o Brasiliense por 3 a 0, no Mineirão, na noite desta última quarta-feira (20). Com três gols de Sasha, o duelo foi definido em 40′ de jogo e rendeu grandes elogios por parte do técnico El Turco.

Foto: Pedro Souza/Atlético

O treinador alvinegro exaltou a postura ofensiva do seu elenco. Se diante do América, houve algumas dificuldades de furar a defesa adversária, contra o Brasiliense a evolução foi perceptível.

“Fizemos o esperado. Estamos trabalhando para furar times fechados. Quando fizemos três gols, eles estavam fechados. Tivemos muita mobilidade, cruzamentos, jogadas por fora e por dentro”, afirmou.

“Quando se definiu o jogo, o segundo tempo não foi bom, foi regular, porque não demos tanta velocidade na mobilidade da bola. Movemos a bola com lentidão. Nos faltou rapidez, mas também é normal, porque fizemos três a zero, então cai a intensidade”, continuou o treinador.

RODÍZIO

Com um plantel recheado com boas opções, o técnico argentino vem promovendo o famoso “rodízio”, em função, principalmente, da sequência de jogos. Ontem, diante do Brasiliense, Mariano, Nathan Silva, Alonso, Jair, Nacho e Hulk, por exemplo, foram poupados.

“Na última semana, jogamos terça, depois sábado, vamos jogar sábado de novo, depois temos um jogo na altitude. Temos que ter muito cuidado com quem vai jogar. Muitas vezes pensamos no físico”, disse.

Mohamed ainda destacou o caso de Mariano, afirmando que é um jogador que demora um pouco mais pra se recuperar quando joga no gramado sintético. Por fim, ainda realçou que não há uma grande mudança no nível de atuação, apesar dos atletas poupados.

“Quando jogamos em campo sintético, alguns jogadores levam um pouco mais de tempo para se recuperar. Mariano demora um pouco mais. Estamos mudando essas situações. Alguns jogadores, como Allan a Arana, se sentem melhor com o quanto mais jogam”.

“Em viagens longas, como na Libertadores, temos que descansar em algumas partidas. Mas eu tenho claro qual é a equipe titular, mas você não vê tanta diferença, nem para cima e nem para baixo”, destacou.

Os goleiros do Botafogo depois da “Era Jefferson” Flamengo x Palmeiras entra em ranking de maiores rendas do futebol brasileiro; veja o top 10 Volta por cima? Criticado na Copa do Mundo, Fred vive boa fase no United Freguesia? Vítor Pereira não venceu confrontos com Abel Ferreira no futebol brasileiro