A aglomeração de problemas causando crise no Barcelona

O Barcelona é um dos times da atualidade que consegue ter torcedores nos quatro cantos do mundo, quebra recordes, ganha títulos e é composto por nomes de peso no futebol mundial. Mas vem encontrando vários empecilhos para liquidar sua glória. Desde 2015 não leva uma Champions League, viu se desfazer o trio MSN (Messi, Suaréz e Neymar) junto à saída de Andrés Iniesta e encontrava redenção na La Liga, onde já vinha sendo campeão por dois anos seguidos. Porém, na temporada 2019/2020 viu seu maior rival, Real Madrid, levar o título no mesmo dia em que perdeu de 2 a 1 para o Osasuna. E isso trouxe a possibilidade de uma saída de Lionel Messi do clube e o medo de ser derrotado pelo Napoli no jogo de volta das oitavas da UCL.

                No entanto, problemas fora de campo também são motivos dessa maré ruim. A pandemia do novo coronavírus fez surgir alguns destes, como o pedido de demissão de seis diretores por conta da má dirigência do clube nesse período, que cortou 70% dos salários dos jogadores para investir nos famosos ‘robôs’ – usados pelos políticos para manchar a imagem dos concorrentes – contratados pelo presidente do clube, Josep Maria Bartomeu. Ele negou tal ação e não convocou novas eleições como foi pedido pelos colegas de trabalho. O presidente também foi acusado de criticar jogadores como Messi, Suaréz e Piqué nas redes sociais através desses ‘robôs’, no episódio que foi batizado de BarçaGate, difamando a imagem deles e de seus familiares e alavancando a sua, mas o golpe só fez com que ele fosse isolado e que a qualquer momento um pedido de impeachment pode ser aberto. Essa fragilidade é refletida dentro de campo.

Desde a saída de Luiz Enrique, no final da temporada 2016/2017, o Barcelona não encontrou um técnico que conseguisse impor uma estratégia de jogo que os levassem até a sexta orelhuda. Ernesto Valverde passou dois anos levando o Campeonato Espanhol, mas caindo nas quartas de finais da Champions League, e tendo esses resultados na competição de clubes mais importante do mundo, não satisfez os dirigentes do Barcelona. Mesmo sendo querido pelos jogadores foi substituído por Quique Setién, outro que está sendo alvo de fortíssimas críticas, tanto de torcedores quanto de jogadores, pelos resultados do clube catalão sob seu comando.

As contratações de jogadores também não tem sido de sucesso. Philippe Coutinho foi muito aguardado pelos culés, e por mais que tenha tentado, não conseguiu um bom desempenho, foi emprestado ao Bayern de Monique e corre risco de ser vendido; Ousmane Dembelé foi comprado com esperança de o Barcelona continuar com um forte trio de ataque após a venda de Neymar ao PSG, mas as lesões sempre o mantém longe dos gramados; já Antoine Griezmann foi comprado do Atlético de Madrid por 120 milhões de euros e está sendo o que mais valeu a pena pelos resultados que está dando.

Novela Arthur

A contratação que agora está rendendo uma bela novela mexicana é a do brasileiro Arthur. Ele saiu do Grêmio em direção ao Barcelona com a expectativa de ser o próximo grande meio-campista do clube, já que Iniesta tinha acabado de sair. No início pareceu que seria o próximo camisa oito a ser eternizado, mas foi assolado por lesões e mal desempenho dentro de campo, o que ocasionou em substituições e até em ficar fora do time titular. O brasileiro foi bastante criticado pela diretoria do clube, pois no período em que estava lesionado foi polêmico na sua vida privada. Quando afirmou que queria ficar no Barça e melhorar o seu futebol, foi vendido a Juventus para a próxima temporada, e se negou a jogar o restante da UCL e da La Liga pelo fato de está decepcionado com a comissão técnica por ter sido deixado de fora dos últimos seis jogos. Agora, o Barcelona afirma que não o deixará impune, recusou a rescisão de vínculo do brasileiro e abriu um processo disciplinar para uma punição ao jogador.

A atitude de Arthur foi vista como indisciplinar pelos jornais espanhóis. O jornal da Catalunha, o La Vanguardian, chamou de “divórcio” o episódio, e afirmou que o atleta é um desastre como profissional após o mesmo ter sido flagrado sem chuteira e bocejando na arquibancada enquanto acontecia a derrota do Barcelona diante do Osasuna.

Situação para a decisão na UCL

Com a saída de Arthur, Quique Setién conta com apenas 11 jogadores de linha disponíveis para enfrentar o Napoli no dia de 8 de agosto. Contudo, a preocupação maior do time catalão, no momento não parece ser essa, e sim a especulação de que o atual melhor jogador do mundo, Lionel Messi, tem o desejo de se despedir do Barcelona, mesmo este tendo sido o único time pelo qual o argentino atuou.

                Mas o jogador está saturado de sempre ser dado como o culpado do mau desenvolvimento do Barça, o que foi intensificado na atual temporada com os resultados ruins e com isso, decidiu paralisar as negociações para a renovação de seu contrato e está considerando deixar o Barcelona em 2021. Esse assunto ganhou mais peso quando o mesmo disse: “se jogarmos assim contra o Napoli, perderemos”, após a derrota para o Osasuna, deixando clara a sua insatisfação com a pior La Liga feita pelo Barcelona na última década e o temor de ser eliminado da Champions League pelo time italiano.

A partida do dia 8 de agosto, que está até com complicações com o local em que acontecerá, será jogada por um Barcelona envolvido em uma novela, protagonizada por Arthur; um time sem jogadas estratégicas para chegar ao gol e a vitória; conflitos internos; e com ameaças de fazer – como foi apontado pela Fox Sports – a maior transição da história do futebol, vendendo Messi para um dos times que sonham em tê-lo. Mesmo assim, o Barcelona ainda quer mostrar que selar a queda do Napoli na Liga dos Campeões é a prioridade.

Foto de capa: Reprodução/Metrópoles