Ameaças de Boris Johnson fizeram clubes ingleses desistirem da Superliga

LONDON, ENGLAND - JULY 23: Newly elected British Prime Minister Boris Johnson speaks during the Conservative Leadership announcement at the QEII Centre on July 23, 2019 in London, England. After a month of hustings, campaigning and televised debates the members of the UK's Conservative and Unionist Party have voted for Boris Johnson to be their new leader and the country's next Prime Minister, replacing Theresa May. (Photo by Jeff J Mitchell/Getty Images)

O jornal AS, da Espanha, afirmou que Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, "ameaçou" os seis clubes ingleses que iriam participar da Superliga. Assim sendo, todos eles acabaram por optar pela saída da competição.

O jornal AS, da Espanha, afirmou que Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, “ameaçou” os seis clubes ingleses que iriam participar da Superliga. Assim sendo, devido às ameaças, todos eles acabaram por optar pela saída da competição.

Assim, segundo a fonte mencionada, Boris Johnson ameaçou aumentar os impostos sobre os clubes envolvidos na Superliga (Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham). Além disso, o primeiro-ministro britânico também avisou que poderia complicar a obtenção dos vistos de trabalho e residência dos jogadores estrangeiros

que desejassem atuar nos Big-6.

Assim sendo, perante as ameaças de Boris Johnson, Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham tomaram a decisão de desistir da competição. Atualmente, apenas dois clubes não abandonaram oficialmente a Superliga Europeia: Barcelona e Real Madrid.

Foto: Getty Images