Felipão avalia pedido de demissão do Cruzeiro, Arthur Caike deixa elenco celeste e Dedé e Jadsom acionam clube na justiça

Time celeste passa por momentos sombrios desde a sua queda, porém o seu ano de centenário começa diante a problemas judiciais e futuras baixas.

Sem receber a 3 meses, o treinador multicampeão por clube e pentacampeão mundial pela seleção estuda pedir demissão após o final da Série B 2020. Sem multa rescisória prevista para ele, o treinador está insatisfeito com as promessas não cumpridas pela diretoria, entre elas, a de manter os salários em dia, o que já acumula duas folhas e 13º em atraso. Além disso, o desmanche do elenco vem acontecendo aos poucos, com a saída de jogadores através de rescisões e de vendas.

O treinador Felipão era cotado para o projeto de reconstrução do clube na volta para a Série A do campeonato brasileiro em 2021, ano do centenário celeste, porém, diante os péssimos resultados o time acabou não conseguindo a vaga e planeja o acesso para a próxima edição da segunda divisão. Com a saída do treinador, será difícil encontrar um bom substituto que aceite o desafio de levar o Cruzeiro ao seu lugar na Série A diante todas as dificuldades financeiras e de elenco.

A mais recente venda do clube é a de Arthur Caike que tinha contrato ate o final desse mês de Janeiro. O atleta fechou com o Kashima Antlers, do Japão, e já encerra agora o contrato com o Cruzeiro e não atua mais pelo clube, segundo informações do repórter Samuel Venâncio.

Além da saída de Arthur, o Cruzeiro nessa semana foi acionado na justiça do trabalhador por André Vital, conhecido como Dedé e por Jadsom Silva, meia, de 19 anos que não compareceu ao treinamento na Toca da Raposa na ultima segunda-feira. O Cruzeiro vive dias tenebrosos e a situação tende a piorar com futuras rescisões devido a atrasos salariais.