No Dia da Consciência Negra, Cruzeiro entrará em campo com termos racistas riscados na camisa

Hoje, quando entra em campo diante do Figueirense, no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, o Cruzeiro prestará uma  reflexão. No primeiro tempo da partida, as camisas dos jogadores da Raposa terão alguns termos riscados e estampados de preto, o que consequentemente ocasiona uma difícil leitura, representando a opressão sofrida pelos negros ainda nos dias de hoje.

Dessa lista de expressões racistas, fazem parte os seguintes termos: “serviço de preto”, “nega maluca”, “denegrir”, “criado mudo”, “lista negra”, “coisa de preto”, “da cor do pecado” e “a coisa tá preta”. Além disso, as camisas dos jogadores do Cruzeiro terão um patch do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, parceiro do clube mineiro nesta campanha.

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues falou sobre a responsabilidade social do clube: “Está em nossa missão ser protagonista no cenário esportivo e impactar positivamente a trajetória das pessoas, promovendo assim a transformação social. Muitas destas palavras as pessoas falam sem pensar no sentido, muitas vezes sem saber, porque estão enraizadas no nosso vocabulário, mas precisamos mudar isso. O Cruzeiro pode e deve trazer os holofotes a estas causas, que promovem uma conscientização, educação e reforcem a igualdade e o respeito. Temos que aproveitar essas oportunidades para não somente fazer ações pontuais, mas realizar uma série de iniciativas constantes que de fato proporcionem mudanças permanentes”

FOTO DE CAPA: Daniel Hott / Cruzeiro EC.

Resta1