Diretor de futebol do Atlético Mineiro, Rodrigo Caetano fala sobre a venda de Savarino

O diretor de futebol do Galo falou sobre os assuntos no evento de ontem (28), do lançamento do livro do atacante Hulk

Na noite de ontem (28), o diretor de futebol do clube alvinegro, Rodrigo Caetano, participou do evento de lançamento do livro do atacante Hulk sobre o ano mágico do triplete em 2021. Durante a festa, o diretor falou sobre alguns assuntos, como o desempenho de Turco Mohamed no Atlético.

“Se a venda se concretizar, óbvio que se aproxima muito. E obviamente que trás uma certa tranquilidade, para uma das metas do departamento de futebol. Claro, que o objetivo fim de um clube de futebol, não é gerar superávit, e sim ter conquistas. Só que existe uma necessidade, não é segredo para ninguém, que o Galo atravessa muita dificuldade, e eu venho repetindo isso desde o ano passado. Penso até que a gente conquistou coisas importantes, num período de travessias, que é o que nós vivemos. Espero que 2023, nos traga uma capacidade de arrecadação muito maior, com a inauguração da Arena MRV. Mas, hoje, realmente, esse número a ser batido ele é quase que uma necessidade urgente. E se conseguirmos isso, será em apenas 4 meses. Então, isso de certa forma, em tese, nos dá uma tranquilidade para a janela do meio do ano. Mesmo eu sendo executivo do departamento de futebol, que fique claro, para o torcedor, não sou eu quem tomo a decisão, de se fazer ou não uma determinada venda. E nem muitas vezes, de se fazer ou não, uma contratação. Eu tenho que criar mecanismos, ferramentas, para a melhor tomada de decisão. Se faz isso por necessidade, e consenso, do presidente, dos 4R´s, que forma esse colegiado.”

O diretor ainda falou sobre ter conseguido manter a base campeã do ano passado e projeta futuro alvinero.

Enfim, infelizmente, ou felizmente, você tem que tomar decisão baseado na proposta que você tem. Não na que você deseja, que você sonha. Só tomara Deus, que lá no meio do ano, a gente consiga sofrer menos, com a janela de transferência, e sem a necessidade urgente da realização. E apesar de tudo isso, a gente conseguiu manter, a base quase total da equipe, que foi multicampeã ano passado.

Foto de Pedro Souza/Atlético

Ney, Ganso e cia! Os jogadores em atividade com mais gols pelo Santos Lampions! A provável escalação do Bahia para enfrentar o Ferroviário-CE pela Copa do Nordeste Alguém vai bater? Os principais recordes do Brasileirão Pré-Libertadores: chaveamento, datas, onde assistir e mais