Doyen aciona Lucas Lima por contratos com Santos e Palmeiras, entenda

O meia Lucas Lima foi acionado na Justiça pelo fundo de investimentos Doyen, e deve envolver o Santos e o Palmeiras. Segundo o site UOL, o jogador, seu ex-empresário Edson Khodor e os dois clubes, deverão apresentar os contratos com o jogador, e a Doyen quer cobrar do jogador, parcela do salário, luvas e percentuais de verbas oriundas de contratos publicitários, do período de 14 de janeiro de 2014 à 8 de janeiro de 2018.

Com passe vinculado ao Palmeiras, Lucas Lima recentemente foi emprestado ao Fortaleza. No último dia 21, quinta-feira, o pedido da Doyen foi acatado pela juíza Daniela Dejuste de Paula, e as partes terão de apresentar os documentos solicitados. Segundo os autos da ação, a Doyen cobra 10% dos rendimentos mensais do jogador e 20% dos contratos publicitários, além de 20% dos valores recebidos a título de indenização compensatória, no caso de rescisão contratual.

Segundo a ação da Doyen, “apesar da relação contratual em questão ter dados profícuos frutos, a autora em nenhum momento viu qualquer rastro pecuniário em sua conta bancária”. O fundo de investimento ainda tem dúvidas sobre fato do empresário do jogador na ocasião ter recebido os valores e não ter repassado, o que for de direito. Por parte da Doyen, foram feitas as notificações extra-judiciais à todos os relacionados, para que fossem apresentados os valores recebidos de forma exata.

Aos pedidos, apenas o Palmeiras respondeu, mas como não tem relação com a Doyen, não foi apresentado nenhum documento. O jogador vestiu a camisa do Santos até o final da temporada de 2017, ao final do seu contrato. Em 2018, se transferiu para o Palmeiras, e nesta temporada, foi emprestado ao Fortaleza.

(Foto: Ivan Storti / Santos FC)