Há 4 anos, o volante que ‘jogava de terno’, se aposentava com a camisa 8 do Santos

Como tudo na vida tem um começo, meio e fim, no dia 24 de novembro de 2018, o meia Renato Dirnei Florêncio, aos 39 anos, se aposentava dos gramados com a sua camisa 8 no Santos, time que o projetou no futebol nacional e mundial. O jogo de despedida, foi na 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro, contra o Atlético Mineiro, onde o Peixe venceu por 3 a 2. Renato entrou aos 37 minutos do segundo tempo no lugar do Gabigol, e atuou nos minutos finais, encerrando sua carreira dentro dos gramados.

Com a camisa 8 do Santos, foram 424 jogos, 33 gols e 28 assistências, e se tornou o quarto jogador que mais vezes, vestiu a camisa do Santos, e conquistou o bicampeonato brasileiro em 2002 e 2004 em sua primeira passagem no Santos, e na segunda passagem, o bicampeonato paulista de 2015 e 2016. Pela Seleção Brasileira, conquistou a Copa América de 2004 e a Copa das Confederações em 2005.

Ao lado de Elano, seu companheiro por muitos anos no meio campo do Santos e seus filhos, Renato é homenageado pelo Santos, com uma camisa do Clube e o número de jogos em suas duas passagens, 425. (Foto: Ivan Storti / Santos FC)

De postura extremamente discreta fora dos gramados, porém eficiente dentro de campo na marcação e nos desarmes, os companheiros de Santos afirmavam, que o meia “jogava de terno”, pela elegância que tocava na bola. Sua postura serena, porém firme, conquistou a todos que esteve junto com ele dentro e fora de campo, ao longo dos mais de 20 anos de carreira, tanto no Brasil, quanto na Espanha. No Sevilla, em 2011, deixou seu nome marcado na história do clube, ao alcançar a marca de 279 partidas disputadas, tornando-se o jogador estrangeiro com maior número de participações na história do clube espanhol.

Em sua despedida, o meia Renato foi homenageado entrando de terno, pela elegância que tinha dentro de campo, que causava tamanha admiração dos companheiros e também dos adversários. (Foto: Ivan Storti / Santos FC)

Jogando de segundo volante no Santos, Renato conseguiu em 2016, jogar todas as 38 partidas, sem se ausentar por contusão ou punição, tornando-se o único jogador do Santos a alcançar tal façanha. O seu último feito marcante, foi em 2018, se tornar o jogador mais velho a marcar gols com a camisa do Santos no Campeonato Brasileiro, que ocorreu no dia 3 de junho, na goleada por 5 a 2, contra o Vitória, na Vila Belmiro, aos 39 anos e 20 dias.

Renato iniciou sua carreira no Guarani, onde atuou de 1996 a 2000, depois veio para o Santos, onde ficou de 2000 a 2004. Na Europa, atuou pelo Sevilla, de 2004 a 2011. Seu retorno ao Brasil foi para o Botafogo, onde atou de 2011 a 2014, e por último retorno ao Santos, onde atuou de 2014 a 2018. Pela Seleção Brasileira, teve 29 convocações entre os anos de 2003 a 2005, e não fez gol.

(Fotos: Ivan Storti / Santos FC)

FIFA 23: Os melhores jogadores da Liga Argentina sem Boca Juniors e River Plate ÚLTIMA DANÇA? Confira os contratos dos 20 pilotos de Fórmula 1 para a temporada de 2023 Vai poupar? A provável escalação do Brasil contra Camarões As piores campanhas das Seleções campeãs mundiais em Copas do Mundo