Hulk aponta dificuldades sobre jogar no futebol chinês e cita Marinho: ‘Foi reserva lá’

Em entrevista ao SportCenter da ESPN Brasil nessa última segunda-feira (06), o atacante falou sobre seu período no país asiático

O Atlético Mineiro é o grande campeão de 2021, e seu principal jogador é a estrela internacional, o atacante Hulk, que vem encantando a todos com seu grande futebol apresentado.

E em entrevistas na noite de ontem ao programa SportCenter da ESPN Brasil, o jogador falou sobre sua carreira no geral e respondeu a perguntas sobre o tão misterioso futebol chinês, que vem atraindo os jogadores brasileiros a cada dia mais.

Falando sobre as dificuldades do campeonato chines, o atacante acabou por citar Marinho, do Santos, que foi coroado o melhor da América na temporada passada, quando foi vice campeão da Libertadores com o alvinegro praiano. Em seu período na China, o jogador do time da Vila não conseguiu se firmar como titular no futebol asiático.

Na opinião de Hulk, a dificuldade na China é maior porque, na média, os jogadores têm menos qualidade. Assim, o jogador do Galo entende que é mais fácil atuar no Brasil, com colegas que facilitam o trabalho.

“Eu lembro que quando cheguei aqui, muita gente falou: ‘Ah, veio da China’. Não é fácil jogar na China. Tem muito jogador. Eu até disse isso para o Cuca. O melhor jogador do Brasil ano passado foi o Marinho. Ele é craque. Mas não jogou na China. Ficava no banco, era difícil. O Oscar disse isso para mim quando chegou lá. Não é fácil. Tem que ser rápido. É complicado. Quando você joga com jogadores de qualidade é muito mais fácil. Na China é muito mais difícil. Aqui é mais fácil pela qualidade dos jogadores”, disse Hulk em entrevista ao SportSCenter, da ESPN Brasil.

O atacante atleticano falou ainda sobre o desconhecimento da mídia brasileira a respeito do campeonato chinês, que ao longo de seu período do outro lado do mundo, o brasileiro acompanhou programas esportivos do nosso país, e muitas das vezes, os analistas falavam sobre seu futebol como se não conhecessem, porém, Hulk afirma que não se chateava com isso.

“Eu via programas de TV do Brasil e as pessoas que falavam das minhas características e pensava: ‘Poxa, será que estão falando do mesmo jogador?’. Mas eu entendo. Talvez não me acompanhassem nos campeonatos que eu disputei: o Português, o Russo, o Chinês. Então, eu relevava. As pessoas têm que acompanhar para falar em cima do que realmente é e não do que imaginam. Mas não foi nada que me deixou chateado”, acrescentou o atacante atleticano.

“Voltando para o Brasil, jogando aqui, as pessoas acompanham mais. Não tem como perder. Se for puxar, meus números no Porto e no Zenit são bem melhores do que os que eu fiz esse ano no Atlético. Mas eu tinha 24, 26 anos. Já faz 10 anos. E eu nunca joguei essa quantidade de jogos”, concluiu.

Hulk é o artilheiro do Brasileirão 2021 com 19 gols e tirou o Atlético Mineiro de uma fila de 50 anos de jejum. Agora, o jogador é um dos favoritos pra levar o prêmio de melhor jogador do campeonato e craque da Galera.

Foto de Pedro Souza/Atlético Mineiro

Luiz Felipe Scolari no comando do Athletico-PR As artilheiras das últimas 10 edições da Champions League Feminina NA MIRA DO TIMÃO! Os números da carreira de Michael Confira os detalhes do novo manto celeste do Cruzeiro