Mesmo com superávit no segundo trimestre, Santos ainda fica sem dinheiro em conta, entenda

Desde que assumiu a diretoria santista, a gestão de Andres Rueda voltou suas atenções para tirar o time de uma grande crise financeira, onde eram inúmeras as dívidas e poucas as receitas. Em pouco mais de nove meses, com um trabalho intenso, as coisas começaram a melhorar na Vila Belmiro, mas a falta de dinheiro em caixa ainda existe.

Segundo o relatório do segundo trimestre de 2.021 apresentado na reunião do Conselho Deliberativo da última segunda-feira, dia 13, mesmo com um superávit de R$ 14 milhões, o Peixe ainda continua se ter dinheiro em contas. O número ‘quebrou’ a previsão de um déficit de R$ 10,5 milhões, o que gerou quase R$ 25 milhões acima do esperado. A informação inicial veio pelo site ATribuna

, com o jornalista Bruno Lima. Mesmo com o bom momento financeiro, o relatório aponta que “a realidade nua e crua é que não temos dinheiro na conta corrente”.

Com um trabalho dedicado da diretoria e do Comitê de Gestão, os jogadores e funcionários estão conseguindo receber regularmente e em dia. A previsão orçamentária de entradas, previa R$ 40,5 milhões de receitas durante o trimestre, e o período apontou entrada de R$ 82 milhões, R$ 41,4 milhões a mais do esperado. Um dos fatores determinantes para esta alta foi R$ 17,5 milhões em vendas de atletas, que não estavam previstas.

Por outro lado, as despesas do segundo trimestre também foram acima do previsto, que era aproximadamente R$ 33,5 milhões, e chegou à casa dos R$ 52 milhões, com o custeio de atletas, funcionários, operação dos jogos, materiais esportivos, etc., R$ 18,3 acima do esperado.

Outro ponto ‘negativo’, foi a baixa no quadro de associados. O número de sócio torcedores perdeu 2.341 associados, e o “Sócio Rei” gerou R$ 1,4 milhão aos cofres santistas. O relatório termina que “com as antecipações de cotas de TV e as premiações obtidas no Campeonato Brasileiro do ano passado, e o vice-campeonato da Libertadores, a posição do caixa melhorou, estando aparentemente confortável nesse primeiro s emestre. Porém, pelo rendimento atual da equipe nas competições, as premiações não se r epetirão nesta ano”.

Com as eliminações da Copa Libertadores e Copa Sul-Americana, e o rendimento do Campeonato Brasileiro, devem diminuir as receitas, e dificultar o trabalho. “O foco e a esperança de todos era a obtenção de grandes patrocinadores e parceiros. No entanto, com a eliminação das principais competições sul-americanas, essa aspiração fica mais difícil”.

Na próxima terça-feira, o Santos decide sua permanência na Copa do Brasil, contra o Athletico Paranaense, para chegar às semifinais. O time precisa vencer por dois gols de diferença para passar direto. Se vencer por 1 gol de diferença, a disputa será nos pênaltis. Com a alta premiação da competição, é de suma importância conseguir a classificação, que já deve render mais R$ 7,3 milhões em prêmios aos cofres santistas.

(Foto: Divulgação / Santos FC)