Santos se pronuncia por agressão a Tardelli: “vândalos travestidos de torcedores”

A derrota para o Athletico Paranaense por 1 a 0, que culminou na eliminação do Santos na Copa do Brasil, inflamou os ânimos da torcida, que protestou na porta da Vila Belmiro, e chegou ao extremo, depredando o carro do atacante Diego Tardelli, que fez sua estreia com a camisa do Santos, entrando no segundo tempo.

Por meio de um comunicado em suas redes sociais, a diretoria santista se posicionou, e chamou os ‘torcedores’ envolvidos na ocasião, de “bandidos”. “Sobre o episódio ocorrido durante a madrugada com o jogador Tardelli e com outros membros do elenco, com ameaças, perseguições, emboscadas e atos de depredação, o Sant os FC repudia veementemente a atitude de vândalos travestidos de torcedores, e ressalta que dará todo apoio para que as medidas legais sejam adotadas, para o reconhecimento e a punição dos agressores.”

Ainda sobre o ocorrido, a diretoria afirma que não podem ser chamado de torcedores, e sim de bandidos. “O Clube não reconhece essas pessoas como torcedores e sim como bandidos. A torcida tem o direito de protestar sobre os resultados, desde que de forma civilizada”.

OPINIÃO: Por pior que seja o momento do clube, os protestos devem acontecer, porém de forma civilizada, sem violência e agressões. Deve-se lembrar, que ain da que o futebol seja uma paixão do povo, as pessoas que vestem a camisa da instituição, são trabalhadores, que mesmo não alcançando seus objetivos, no caso a vitória e classificação, devem ter pelo menos o mínimo de respeito. Aos “vândalos travestidos de torcedores”, deve-se aplicar o rigor da lei, pois não podem ser entitulados torcedores, em hipótese alguma.

(Arte: Santos FC)