Van Gaal descarta briga com Di Maria e fala sobre a Seleção Brasileira

O treinador da Seleção Holandesa comentou alguns temas ‘pessoais’ que estarão em campo nas quartas de final da Copa do Mundo

A Copa do Mundo segue se afunilando, e a cada dia que passa, novas seleções dão adeus ao torneio e os sobreviventes avançam rumo a grande final. E amanhã (09), teremos os dois primeiros jogos das quartas de final do torneio mundial, e um dos confrontos é recheado de história.

Se trata do duelo entre Argentina e Holanda, que colocará em campo duas das mais tradicionais seleções do futebol mundial. O confronto será o 6º encontro entre as duas equipes em Copas do Mundo, e terá um personagem curioso no duelo; o treinador Louis Van Gaal, da Holanda.

O treinador era o comandante da Laranja Mecânica em 2014, quando a equipe foi semifinalista e caiu para a Argentina nos pênaltis. Além disso, Van Gaal tem uma briga ‘pessoal’ com um dos principais nomes da albiceleste, Ángel Di Maria, camisa 11 argentino.

Diante o confronto, Van Gaal participou da coletiva de imprensa e comentou sobre esses assuntos e descartou a briga com o atacante argentino e comparou sua relação com Memphis Depay, camisa 10 holandês.

“Di María é um jogador muito bom. Jogava no Manchester e tinha muitos problemas pessoais. Entraram na sua casa, roubaram, e isso afetou o seu nível de rendimento. Que ele tenha dito que sou o pior treinador, bom… é triste. Mas podemos dar a volta por cima. É uma lástima. Mas assim são as coisas. O treinador as vezes tem que tomar decisões.”

“Memphis Depay também teve de lidar com isso [problemas com Van Gaal] nos tempos do United, e agora a gente se beija na boca”, brincou, para o riso geral na sala de entrevistas.

Após falar que o Brasil jogava de forma parecida à da Holanda, Van Gaal disse ter sido mal interpretado e que parecia estar menosprezando o jogo da seleção de Tite

“Eu nunca disse que o Brasil é uma seleção de contra ataques, como escreveram por aí. Sempre disse que o Brasil era um grande time. E que faz quase a mesma coisa que a Holanda, jogadores que pressionam bastante pela bola e partem com velocidade ao ataque. Mas tem jogadores fantásticos, executam as jogadas de outras maneiras porque têm muito talento e é o grande favorito a ganhar o Mundial”, destacou.

Foto de Getty Images

Mascotes dos clubes do Brasil com Inteligência Artificial Para onde vai Jude Bellingham? K-MAG na F1! Os números de Kevin Magnussen na Fórmula 1 Repetindo os passos do herói! A jornada de Carlos Sainz na Fórmula 1