Por rescisão, Uribe vai à CBF e não treina com elenco do Santos

Há mais de um ano no Santos e sem marcar nenhum gol, o atacante Fernando Uribe deve estar com seus dias contados na Vila Belmiro. O jogador foi a CNRD (Câmara Nacional de Resolução de Disputas) da CBF, e pediu a rescisão de contrato com o Santos. O atacante e seu advogado Luciano Favere, cobram na justiça atraso salarial (foi considerado atraso, a redução de 70% dos rendimentos do jogador, durante quatro meses, na pandemia do novo coronavírus), atrasos de direito de imagem, além do não recolhimento de FGTS, o que faz com que o jogador peça a rescisão unilateral de contrato. A diretoria santista terá até quarta-feira para apresentar sua defesa.

Atualmente, o Santos deve aproximadamente R$ 2 milhões ao jogador, que não abriria mão dos valores. A diretoria santista para aceitar uma rescisão de contrato amigável, só aceitaria, caso o jogador abrisse mão dos valores cobrados, ou boa parte deles. A diretoria santista chegou a apresentar uma proposta, onde seria parcelado os débitos, que não teve êxito.

Segundo o empresário do jogador, Luis Carlos Serrano, aconteceu uma violação de obrigação, por parte do Santos. “Fernando pediu demissão do Santos por violação de seis meses de suas obrigações com o jogador e agora vamos processar o time via Fifa”. Uribe chegou ao Santos em 2019, e desde então, jogou em 16 jogos e não marcou nenhum gol. O jogador tem salário acima dos R$ 500 mil mensais e a diretoria santista até tentou vender o jogador, mas o alto salário sempre foi fator de dificuldade. A última atividade que o jogador participou com o elenco santista, foi na última sexta-feira, ainda como parte da preparação para o jogo contra o Ceará.

(Foto: Ivan Storti / Santos FC)

Resta1

Filipe Dias

Editor do MF. Paulista de São Paulo, Mineiro de Guaxupé, fundador da GuaxuPeixe, Torcida do Santos em Guaxupé e Setorista do Santos FC.