Retrospectiva do Futebol Catarinense na Copa do Brasil

Após quatro fases, Santa Catarina não tem mais clubes vivos na Copa do Brasil 2020

O futebol catarinense está passando por um momento delicado. Pela primeira vez na era dos pontos corridos não tem um representante na elite do futebol nacional. Entretanto, todos os representantes do estado já caíram na competição, em seguida um breve resumo da participação de cada um dos clubes de Santa Catarina no torneio nacional.

Avaí

A maior surpresa do estado na Copa do Brasil foi o Avaí. Com um investimento pesado para a temporada de 2020, contando com nomes como Valdívia e Bruno Silva no seu elenco, e um técnico português, Augusto Inácio. O Leão da Ilha teve um início de temporada complicado perdendo a Recopa Catarinense, e um começo irregular de estadual, onde o destaque foi a vitória no clássico contra o Figueirense.

No dia 13 de fevereiro, o time enfrentou a Ferroviária em São Paulo, na arena Fonte Luminosa, e perdeu de por 2 a 0 com gols de Henana e Hygor. A derrota além de atrapalhar os planos do Avaí para a sequência da temporada, marcou a queda do técnico português, depois de apenas sete jogos no comando do Leão.

Foto: Divulgação/Associação Ferroviária de Esportes

Brusque

Após um grandioso ano de 2019, com o título da Série D e da Copa SC, garantindo a vaga na Copa do Brasil, o Brusque veio pra 2020 com manutenção das principais peças e reforços pontuais. O ano da equipe já começou vitorioso após levantar a Recopa Catarinense com dois gols de Edu, e um início de estadual com três vitórias em cinco jogos.

No dia 12 de fevereiro, o Brusque já teve um grande desafio ao receber a equipe do Sport na Copa do Brasil, no estádio Augusto Bauer, e com gols de Ianson e Edu, a equipe do Vale do Itajaí superou o time da Série A do Brasileirão em jogo que foi marcado por polêmica. No final do jogo Elton fez um gol que daria a classificação para o Sport, entretanto o árbitro assinalou falta no goleiro Zé Carlos. Os gols do jogo foram de Edu e Ianson para o Brusque e Leandro Barcia para o Sport.

Na semana seguinte, no dia 20 de fevereiro, novamente no Augusto Bauer, o Brusque recebeu o Remo pela segunda fase da Copa do Brasil, e com noite inspirada de Thiago Alagoano, o reizinho do Vale, como diz a torcida do Marreco, meteu 5 a 1 na equipe do norte Brasileiro. Os gols do jogo foram de Thiago Alagoano (2), Airton, Edu e Neguete (contra) para o Brusque e de Giovane Gomez para o Remo.

Foto: Lucas Gabriel Cardoso/Brusque FC

Já na terceira fase, contra o Brasil de Pelotas, os Catarinenses passaram de fase com duas vitórias por 1 a 0. Na ida, em Pelotas, no dia 12 de março, mais uma vez o Reizinho do Vale, Thiago Alagoano, deixou o dele. Na volta, no dia 27 de agosto, em Brusque, Marco Antônio fez a alegria da cidade classificando o Marreco para a quarta fase, sendo o time catarinense que mais foi longe na competição.

Já na quarta fase, sendo o único dentre os 10 restantes fora das Séries A e B teve de encarar o Ceará. Nesse momento, o Brusque sentiu falta do seu artilheiro Edu, que se lesionou na Série C e não joga mais em 2020. Na ida, em casa, no dia 16 de setembro, o Brusque tomou dois gols em duas falhas (Leandro Carvalho e Vina os autores dos gols). Na volta, na semana seguinte, até saiu na frente no Castelão, no entanto não conseguiu ajustar o time na etapa complementar. O Brusque tomou 4 dos 5 gols que caracterizaram o 5×1 da partida de volta (Alex Sandro fez para o Brusque e Rafael Sóbis 2x, Bergson, Tiago Pagnussat e Airton contra fizeram para o Ceará).

Chapecoense

Outra equipe que vinha de um rebaixamento, a Chape vinha com um investimento mais modesto comparado ao Avaí, que vivia situação similar, também passou por um fraco início de ano, com seis jogos sem vitória no estadual, o Verdão optou por demitir o técnico Hemerson Maria, contratado para a temporada de 2020, e trazer Umberto Louzer para o seu lugar.

Logo na estreia no dia 19 de fevereiro, Umberto Louzer teve um complicado desafio, enfrentar no Rio de Janeiro o Boavista na Copa do Brasil. Em campo ele mostrou uma Chapecoense que queria mais jogo, e com isso levou o Verdão para o primeiro triunfo na temporada, ao conquistar um placar de 2 a 0 sobre o Boavista, com gols de Aylon e Foguinho.

Foto: Márcio Cunha/ACF

Uma semana depois, a Chapecoense já teria o jogo da segunda fase da competição, contra o São José do Rio Grande do Sul, no polêmico gramado sintético do Zequinha. A partida não teve muitas oportunidades de gol e ficou com o placar zerado, até que nos pênaltis o goleiro Fábio, do São José, defendeu duas cobranças, além de converter a da classificação dos mandantes.

Criciúma

O representante do sul de Santa Catarina, o Criciúma era outra equipe que contava com os recursos financeiros da Copa do Brasil, pois na temporada passada caiu da segunda para a terceira divisão nacional. Em campo, o Tigre não tinha um time encaixado, muito menos sólido o que gerava dúvidas para o início da temporada, inclusive no estadual não passou confiança para a torcida.

No dia 5 de fevereiro, o Tigre viajou até o interior de São Paulo para protagonizar um duelo de campeões com o Santo André. A partida do estádio Bruno José Daniel não foi nada agradável para os Catarinenses que perderam de 4 a 1, os gols foram de Ronaldo, Branquinho (2), Douglas Baggio para o Santo André e Andrew para o Criciúma.

Foto: Wilian oliveira/Futura Press/Folhapress

Figueirense

O Figueirense veio com forte reformulação de elenco após todos os ocorridos no ano de 2019, e orçamento limitado, o que fez a Copa do Brasil ser muito importante pro clube afundado em dívidas. O Furacão decidiu efetivar o técnico Márcio Coelho para a temporada 2020 e começou a temporada bem, com duas vitórias nos quatro primeiros jogos do estadual, todavia no fim de semana que precedeu a partida da Copa do Brasil perdeu um clássico em casa por 2 a 0.

Na estreia da Copa do Brasil, no dia 6 de fevereiro, o time de Márcio Coelho foi para o interior de São Paulo enfrentar o Grêmio Novorizontino, e levou um susto quando saiu atrás no placar com gol de Thiago Ribeiro de pênalti, mas na etapa complementar de jogo Alemão e Diego Gonçalves viraram a partida, classificando o Alvinegro.

Na segunda fase, no dia 18 de fevereiro, o Furacão foi até a capital do Espírito Santo, Vitória, para enfrentar a equipe com o nome da cidade, tendo que jogar a segunda etapa inteira com um jogador a menos por conta da expulsão do meia Guilherme. Após jogo complicado, o Figueirense conseguiu nos acréscimos um gol com Diego Gonçalves que deu a classificação do clube para terceira fase.

Na terceira fase, já com jogos de ida e volta, o Furacão recebeu o Fluminense no estádio Orlando Scarpelli no dia 11 de Março, e saiu com um resultado positivo de 1 a 0, gol de Alemão e uma grande atuação contra a equipe Carioca. Entretanto na volta, após o retorno do futebol por conta da pandemia do Covid-19, no dia 25 de agosto, em pleno Maracanã tomou três gols de Nenê e caiu da competição. Devido ao resultado, o técnico Márcio Coelho foi demitido.

Foto: Patrick Floriani/FFC

Imagem em destaque: Getty Images

Resta1

Lucas Medeiros

Apenas mais um apaixonado por futebol no mundo