Entrevista com Conrado, lateral do Figueirense

O entrevistado da vez é o lateral-esquerdo do Figueirense, Conrado. Ele nasceu no interior, na cidade de Ajuricaba, do Rio Grande do Sul e começou sua carreira na base do Grêmio.

Conrado tem apenas 22 anos e já passou por três clubes profissionalmente. Além do Grêmio, jogou pelo Oeste mais de 40 jogos e agora está em Santa Catarina, jogando pelo Figueirense.

A situação de seu atual clube não é muito boa. O time de Florianópolis está na zona de rebaixamento da Série B com apenas 31 pontos em 30 jogos. No entanto, após a chegada de Conrado, a equipe reagiu no campeonato, deixou a lanterna e hoje está na 17ª posição com dois pontos a menos que o Vitória-BA.

 

Confira agora a entrevista com o lateral.

 
Resultado de imagem para Conrado Figueirense
Conrado pelo seu novo Clube (Reprodução/OCP News).
 

1- Conrado, você nasceu no Rio Grande do Sul, na cidade de Ajuricaba. Conte um pouco sobre esses primeiros momentos, quando você decidiu que queria ser jogador profissional e a trajetória na base do Grêmio.

R: Nasci no interior, onde você disse. Lá acaba que não tem muitas oportunidades, mas desde os 6 anos já frequentava escolinha e aos 9 anos participei da Copa Saudades de SC, onde me destaquei e surgiu interesse de grandes clubes, foi onde escolhi o Grêmio.

 

2- Você começou em um time que valoriza muito a base. Especialmente após a chegada de Renato Portaluppi, o tricolor gaúcho deu grande importância aos jogadores que vêm dali. Como você observa isso em um cenário de tantos clubes endividados no Brasil?

R: O Grêmio valoriza muito a base, fiquei 10 anos, o que é muito tempo até receber a oportunidade do Renato de estreitar no profissional em 2017. Esse ciclo da base ao profissional é complicado, mas o clube que consegue dar oportunidade e trabalhar isso tem muito a ganhar.

 

3- No Grêmio, você não teve muitas chances de atuar no time profissional e foi para o interior de São Paulo, jogar no Oeste. Como foi essa mudança de cidade e a adaptação ao novo clube?

R: Ir para o Oeste foi um desafio grande, foi um bom ano, onde consegui um acesso e também disputar a Série B, que é muito competitiva.

 

4- O Oeste foi a equipe que você mais jogou até o momento na carreira, pouco mais de 40 jogos. Qual sua avaliação sobre sua passagem pelo time de Barueri, o quanto você enxerga que evoluiu?

R: Acredito que ganhei experiência e foi uma boa passagem com bastantes jogos e também um acesso. E isso deixa sua marca no clube.

 

5- No time paulista, teve algum momento que te marcou muito como um gol ou um jogo em específico?

R: Sim, teve momentos bons de alegria como um gol contra o Avaí na Ressacada e também um gol decisivo pro nosso acesso à Série A do Paulista.

 

6- Entre jogadores aposentados e na ativa, tem algum atleta que você tem como referência para atuar? Se sim, por quê?

R: Eu gosto de ver os grandes jogadores da minha posição para tirar algumas lições. Gosto do Marcelo, lateral [do Real Madrid] e jogadores agudos pela esquerda. Eu procuro sempre evoluir.

 

7- Seu novo clube agora é o Figueirense. Você chega num momento muito conturbado e numa situação difícil na Série B. O que te fez escolher esse novo desafio?

R: O Figueirense passa por um momento difícil, mas é um clube de camisa, história e tem uma torcida gigante. Eu quero ajudar o máximo pra mostrar meu valor e ficar marcado no Furacão.

 
Resultado de imagem para Conrado Figueirense
Apresentação de Conrado no Figueirense (Divulgação/Figueirense).
 

8- Qual a mensagem você pode deixar para o torcedor neste momento difícil na história do clube?

R: Apoiem, que vamos dar o máximo e mais ainda pra sair dessa situação.

 

9- Por fim, deixe uma mensagem para os colaboradores e leitores do Mercado do Futebol.

R: Obrigado pelo espaço, pela oportunidade de falar e mostrar um pouco da minha história. Abraço.

 

Os 10 melhores jogadores do Los Angeles Galaxy no FIFA 11 Os 10 melhores jogadores do Real Madrid no FIFA 11 sem CR7 Os 10 melhores jogadores do Sevilla no FIFA 11 As principais renovações de contrato da Free Agency da NBA