San Marino, a república mais antiga do mundo volta seus olhos a uma estrela brasileira

Foto: The Penne (San Marino).

Com área de 61,2 km² e cerca de 35 mil habitantes, o país é considerado pela história a república mais antiga do mundo, pois seu fundador San Marino, cristão que fugiu da perseguição fundou a localidade em 3 de setembro de 301. Todavia, a primeira consolidação como estado foi pela França de Napoleão em 1797 e na sequência em 1815 pelo Congresso de Viana. Hoje é considerado como patrimônio histórico pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Depois da miniaula de história, o futebol são-marinense é semi-profissional e tem uma liga parte pontos corridos e o outro lado mata-mata. Mesmo com pouca estrutura, a temporada passada contou com vários estrangeiros, entre os países estão: Armênia, Gana, Serra Leoa, Argentina, Peru, Brasil (Adam ex-América do Rio, Aldinho ex-Privamera-SP e Medici ex-base do Vitória), Guiné, Senegal (tem oito jogadores do país), Colômbia, Romênia, França, Macedônia do Norte, Sérvia, Cuba (o atacante Joel Apezteguía joga pela seleção nacional) e Ucrânia.

Novamente, San Marino se torna notícia no cenário brasileiro, pois em 2007, o Murata contratou o ex-zagueiro Aldair com passagens por Flamengo, Benfica e Roma convencido pelo treinador Massino Agostini (comandou a Seleção Italiana de Beach Soccer). Além disso, se utilizando da vaga na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o presidente da agremiação na época, Libero Casade convidou Romário para jogar e o ex-piloto Michael Schumacher a participar de um evento, mas ambos declinaram o convite.

As histórias de uma vitória em mais de 100 jogos oficiais, além da presença de Andy Selva e Massimo Bonini são recorrentes nos veículos de comunicação. Entretanto, a chegada do lateral-direito Maicon ao The Penne, mesmo que seja por dois jogos mostra novamente a tentativa do país em melhorar seu patamar. O jogador com passagem por Cruzeiro, Monaco, Internazionale, Manchester City e Roma, além de conquistas de Mundial de Clubes, Champions League, Copa América e Copa das Confederações coloca um pouco de profissionalismo dentro da região.

Em sua chegada, o atleta afirmou o seguinte: “Sou uma pessoa positiva, por isso espero muitas coisas boas desta experiência. Espero encontrar companheiros que tenham a mesma mentalidade que eu, possamos ter uma grande satisfação e nos divertir. Estou aqui para fazer bem e mal posso esperar para conhecer e juntar-me aos meus novos companheiros de equipa para estarmos todos juntos”. Ele estava no Sona, da quarta divisão italiana e se sente confortável para atuar aos 40 anos.