Após fraco desempenho no retorno do futebol, Figueirense demite Márcio Coelho

A equipe do Figueirense caiu precocemente nas quartas de finais do estadual, começou a Série B com 2 derrotas, 1 empate e 1 vitória além de uma vergonhosa eliminação diante do Fluminense na copa do Brasil, e como consequência demite o técnico Márcio Coelho.

O Figueirense anunciou nesta quinta-feira a demissão do Técnico Márcio Coelho, do auxíliar Raúl Cabral, do analista de desempenho Enory e do técnico das categorias de base e segundo auxíliar da comissão técnica Fernando Gil. As demissões aconteceram após uma grande sequência de resultados e atuações ruins do clube.

Márcio Coelho trabalhava no clube há dez anos e já tinha assumido o clube como interino muitas vezes, até ser efetivado no cargo para a temporada de 2020 devido à crise financeira e identificação do profissional com o clube. Como técnico nesta temporada ele teve 16 jogos na beira do campo com 8 vitórias, 3 empates e 5 derrotas. O técnico é o segundo a ser demitido na Série B do Brasileirão, depois de Gilmar Dal pozzo do Náutico.

Após a escolha do Figueirense, da demissão de Márcio Coelho e sua comissão técnica, o clube está no mercado em busca de um profissional para assumir o clube, lembrando que passa por crise financeira e o profissional terá que aceitar trabalhar nas dificuldades do clube de contratações. A equipe já foi atrás de Adilson Batista e Jorginho, que estava no Juventus-SC, entrando a negociação com ambos não prosseguiu e o nome da vez para assumir o clube é Elano, que treinou a Onter de Limeira no Paulistão 2020.

Imagem em destaque: Patrick Floriani/FFC

Resta1