Gabigol mantém processo contra TV Globo por quebra de acordo

Falar de Gabigol e não mencionar o Flamengo e o fator campo é uma novidade, mas teremos que fazer isso. Seu staff decidiu seguir com processos contra a Globo pela inclusão de imagens dele em um cassino clandestino em São Paulo no documentário “Predestinado”. Assim, agora, a estratégia é uma ação por quebra de contrato e danos materiais. Sendo assim, os representantes do atleta se baseiam no acordo que Globo e Gabigol, centroavante do Flamengo, tinham para a produção do Globoplay.

Nesse sentido, o UOL apurou que o processo movimento, que inicialmente tentava a liminar para impedir a estreia do último episódio da produção no mês de março, deixou de ter caráter de urgência. Dessa forma, passará a tramitar normalmente na Justiça do Rio de Janeiro. Com isso, a juíza será designada para julgar a ação em primeira instância, que não há previsão.

Staff de Gabigol considera que o atleta foi “traído”

Foto: Agnews

Em síntese, a equipe do centroavante do Flamengo alega que houve descumprimento contratual e danos morais à imagem do atacante. Sendo assim, o valor previsto para multa é o mesmo que a empresa 4Comm/Gabigol Esportes Ltda., que cuida da carreira do atleta, solicitou a Justiça caso a liminar inicialmente solicitada fosse concedida: R$ 2 milhões. Dessa forma, o principal argumento da equipe de Gabigol é que as imagens do atleta no cassino clandestino entraram sem aviso prévio.

Dando prosseguimento, o UOL Esporte teve acesso ao contrato entre Globo e o “príncipe” do Flamengo para a produção de “Predestinado”. Assim, nota-se cláusulas previam aprovação da equipe do jogador e sua família e existia um acordo da TV para que o documentário tivesse caráter de homenagem. A Globo afirmou que a inclusão das imagens no cassino não mudava esse caráter, mas o staff do atleta discorda. O que incomodou foi a forma como fizeram a inclusão do trecho. Por fim, a TV Globo prometeu uma homenagem ao atacante do Flamengo nas negociações para a produção do documentário, o que acabou sendo “manchado” pelo caso.