Landim autoriza e Flamengo marca reunião para acertar renovação de Arrascaeta

Por mais que precise de reforços, a prioridade do Flamengo é manter quem está no elenco. Por conta disso, antes de viajar em busca de reforços, os dirigentes do Rubro-Negro deixaram encaminhado que, em seus retornos, vão resolver a renovação e a valorização do meia Arrascaeta.

Marcos Braz e Bruno Spindel fizeram contato com os representantes do uruguaio e combinaram a conversa até a próxima semana. Então, a ideia é ouvir a proposta financeira no mesmo patamar das demais estrelas do elenco. Após a Copa América, o uruguaio recebeu novas sondagens. O presidente Rodolfo Landim autorizou a renovação.

Arrascaeta é o único atleta campeão de quase tudo em 2019 que ainda não ganhou uma valorização salarial. Com a pandemia, o Flamengo enfrentou uma série de dificuldades financeiras e o assunto acabou sendo atrasado para 2021. O vínculo do uruguaio se encerra em 2023 e o Rubro-Negro não trata o tema com pressa, ao menos até agora.

Mesmo sem dinheiro para inflacionar a folha salarial, o Flamengo acredita que é a hora de valorizá-lo para não perdê-lo quando a janela internacional de transferências for aberta. Além disso, a intenção é não desmotivá-lo com a possível chegada de nomes para a mesma posição, como Kenedy.

Nesse sentido, o estafe de Arrascaeta também cobra o cumprimento da promessa de compra de mais 25% dos direitos econômicos do jogador, que pertenceu ao Defensor, do Uruguai. No entanto, ficou acordado que isso ocorreria apenas se ele atuasse por mais de 4 mil minutos ao fim de cada uma das quatro anos de contrato.

Isso não aconteceu nos dois primeiros anos. Na verdade, a quantia deverá ser repassada ao empresário de Arrascaeta, Daniel Fonseca, que comprou a parte do Defensor logo após a negociação. Com isso, ele esperava que o Flamengo adquirisse o percentual no momento da renovação.

O Flamengo pagou R$ 63,7 milhões para comprar o uruguaio junto ao Cruzeiro, em 2019. Na ocasião, o Rubro-Negro investiu 18 milhões de euros por 75% – 13 milhões pelos 50% do Cruzeiro e 5 milhões por 25% do Defensor. Por isso, o clube carioca não topa negociá-lo por menos de 25 milhões de euros.