Serra Leoa, a luta pela felicidade é o pensamento dos jogadores na CAN

Foto: Seleção de Serra Leoa.

A última vaga da CAF em 2022 foi decidida num jogo de contornos dramáticos, Serra Leoa e Benim duelaram em Guiné, por causa da seguinte situação. A seleção da casa não recebeu os beninenses, pois eles tiveram seis casos confirmados de coronavírus (ainda existe suspeita sobre a questão dos testes). A priori, o embate seria no dia seguinte, mas os serra-leoneses barraram novamente a entrada do adversário, o que ocasionou na remarcação da partida para junho, em campo neutro, a equipe venceu de 1 a 0 e se classificou pela terceira vez na história.

Com pr oblemas estruturais decorrentes da guerra civil na década de 1990 e o início dos anos 2000, o país viveu o seu auge no futebol nesse período por incrível que isso pareça, pois alguns atletas como o zagueiro Kewullay Conteh e o atacante Mohamed Kallon (voltou a terra natal em 2010) levaram o selecionado a competição em 1994 e 1996, sendo que na última participação, eles venceram Burkina Faso, apesar do resultado não conseguiram se classificar para a fase seguinte.

Para fazer diferente das outras vezes e surpreender países tradicionais como Argélia e Costa do Marfim, o técnico John Keister (desde 2017 no comando) chamou alguns nomes com experiência até por outras seleções, por exemplo o zagueiro Steven Caulker (que chegou a jogar pela Inglaterra no amistoso contra a Suécia, gol de bicicleta de Ibrahimovic), o meia Medo Kamara (tem naturalização finlandesa) e o atacante Alhaji Kamara (atualmente no Randers, da Dinamarca). Vale lembrar que em 2020, a seleção empatou em 4 a 4 contra a Nigéria (estava perdendo de 4 a 0).

Por outro lado existem atletas novos e com potencial, casos do lateral Daniel Francis (19 anos e que atua no time amador do RW Ahlen, da Alemanha), o meia Abu Dumbuya (uma das principais promessas no país estando no East and Lions), além da dupla de atacantes Alhassan Koroma (Real Linense, da terceira divisão espanhola) e Idris Kanu (Peterborough United, segunda divisão inglesa). Azerbaijão, China, Estados Unidos, Holanda, Islândia, Suécia e Suíça são outros países que estão sendo representados pelo jogadores.

Com população chegando aos oito milhões de habitantes que vivem em um espaço de metade do Ceará (estado) tem um dos piores IDH do mundo com vários problemas para quem mora no país (corrupção, falta de água, baixa escolari dade, deslizamentos de terra, contaminação do solo, mortalidade infantil e Ebola, este último causou um preconceito das outras nações perante os serra-leoneses). Apesar de tudo isso e da suspensão da Federação (entre 2014 e 2018 não tinha nem campeonato), o esporte ressurgiu com forças em todas as esferas da sociedade.

Em visita a capital Freetown em maio de 2021, o presidente da Federação Internacional, Gianni Infantino chegou a comentar sobre o desenvolvimento do esporte na localidade: “Nós da FIFA queremos fazer parte do processo de ajudar a desenvolver o futebol em Serra Leoa e queremos garantir que este país brilhe com oportunidades através do jogo porque, afinal, representa talento, vida e alegria, muitos dos quais temos já visto desde que cheguei aqui”. O espírito é esse trazer felicidade a torcida, mesmo que seja somente através da luta.

Maiores campeões estaduais na Série A Os 10 times mais valiosos do Brasil Lembra deles? Os medalhões que jogarão os estaduais longe dos holofotes 7 Jogadores Livres no mercado que poderiam reforçar seu time