Por onde anda os atletas norte-coreanos que disputaram a Copa do Mundo em 2010?

Na África do Sul, um país asiático chamou a atenção de jornalistas e torcedores, pois fazia muito tempo que não se via essa seleção em competições mundiais (Inglaterra em 1966) e além disso, o regime imposto por seu líder limitava o conhecimento do estilo de jogo dos atletas. Mesmo assim os resultados em tese não foram positivos, derrotas para Costa do Marfim (3 a 0), Brasil (2 a 1) e Portugal (7 a 0), no mais estaremos divulgando por onde andam alguns jogadores que serviram a Coréia do Norte utilizando como base o vídeo do canal Gol de Canela:

 

Goleiros:

Ri Myong-Guk: Atualmente com 34 anos segue sua carreira no Pyongyang CSG, sendo sua décima quinta temporada na agremiação, vale lembrar que em 2014, 2015 e 2016 foi considerado o melhor atleta no Campeonato Norte-Coreano. Até hoje é o jogador com maior número de partidas pela seleção (118) e tem na conquista da extinta AFC Challenge Cup de 2012, seu momento de consagração.

Kim Myong-Won: Chamado como terceiro goleiro do selecionado, o atleta na realidade era atacante, algo que foi descoberto pela FIFA e negado prontamente, a estratégia norte-coreana não foi sucedida. Em 2011, ele conseguiu se mudar da Coréia do Norte para Mongólia, assim jogando no Ulaanbator United e FC Ulaanbaatar, ambos da capital do país. Aos 37 anos atualmente, se aposentou dos gramados em 2013/2014.

 

Defensores:

Ri Kwang-Chon: Atuou nas três partidas da seleção no campeonato e muito respeitado continuou jogando pela Coréia do Norte por algum tempo, todavia após se mudar para Tailândia em 2012 e nunca foi mais lembrado. Contudo, o atleta jogou por equipes como Muangthong United (sendo campeão nacional) e Pattaya United, onde se aposentou em 2015. No início da carreira atuou no 25 de Abril, clube do Ministério das Forças Armadas Populares.

Pak Chol-Jin: Fez parte da trinca de zagueiros da seleção e depois da competição mundial foi deixado de lado, mas em termos de clubes continua no Amnokgang desde 2003. Aos 35 anos teve praticamente a metade dele a serviço da modesta agremiação norte-coreana.

Nam Song-Chol: Atuou somente 15 minutos na lateral-direita e logo na goleada contra Portugal, entretanto é no 25 de Abril que ele tem uma história de conquista, logo um hepta nacional. Atualmente é auxiliar-técnico da equipe onde atuou como jogador por muitas temporadas.

Cha Jong-Hyok: Titular sem contestações na lateral-direita e um dos poucos destaques daquela equipe, ele teve um rumo diferente na carreira em relação aos colegas, pois foi contratado pelo FC Wil 1900, da segunda divisão suíça. No futebol europeu disputou cinco temporadas fazendo mais de 60 jogos e se aposentou em 2014/2015. Atualmente ele tem 35 anos.

 

Meio-Campo:

Ji Yun-Nam: O único desta lista que pode dizer: Fiz gol e ainda mais na seleção brasileira. O convocado como lateral-esquerdo na realidade jogou como volante e foi o autor do tento norte-coreano no Mundial, mas logo na sequência ao fim da temporada 2012/2013 terminou sua carreira, sendo campeão da liga pelo 25 de Abril.

An Yong-hak: Nascido no Japão foi naturalizado norte-coreano, mesmo que nunca tenha atuado em um clube do país. O meio-campista tem uma carreira de muitos clubes, no caso Albirex Niigata, Nagoya Grampus, Busan IPark (Coreia do Sul), Omiya Ardija, Kashiwa Reysol e por último Yokohama FC, onde se aposentou em 2016. Aos 42 anos, pode se orgulhar de ter sido campeão no futebol japonês e sul-coreano.

Pak Nam-Chol: O meio-campista jogou os três embates da seleção na Copa e continuou sendo convocado até 2012, quando se mudou para Tailândia, onde atuou por Muangthong United e Sisaket. Em 2014, se aposentou dos gramados e atualmente tem 35 anos.

Kim Kum-Il: Escrito como meio-campo, mas na realidade era atacante. Ele chegou a jogar duas partidas do mundial, entrando sempre nos minutos finais, sua carreira foi toda em termos de clubes no 25 de Abril, onde foi hexa campeão norte-coreano. Atualmente com 33 anos, se aposentou dos gramados no ano de 2017.

Kim Yong-Jun: Foi outro atleta que entrou somente na partida contra Portugal. Porém, o jogador que teve passagens pelo Yanbian FC e Chengdu Blades, ambos da China teve seu hiato final no Pyongyang CSG em 2017. Contudo, diferente da maioria da lista seguiu sua carreira como técnico chegando a seleção norte-coreana nos anos de 2018 e 2019, mesmo que em somente cinco jogos. Atualmente tem 37 anos.

 

Atacantes:

Jong Tae-se: Outro atleta que nasceu em terras japonesas e um dos poucos que seguem sua carreira profissional atualmente (36 anos). O chamado “Rooney Asiático” não marcou, todavia ficou conhecido ao chorar em uma das partidas na hora do hino nacional. Ele atuou por equipes como Korea University, Kawasaki Frontale (74 gols em 161 jogos), Bochum (14 tentos em 43 partidas), Colônia, Suwon Bluewings (28 marcações em 84 embates), Shimizu S-Pulse (49 gols em 127 jogos), Albirex Niigata e para esta temporada foi contratado pelo Machida Zelvia, da segunda divisão japonesa.

Hong Yong-Jo: O segundo atacante da equipe na competição, além disso o único que na época jogava no futebol europeu, no caso do Rostov (Rússia), anteriormente atuou no FK Bezanija, da Sérvia. Se não marcou, pelo menos pode falar que fez a assistência para o único gol da seleção na Copa. Logo após, retornou a Coréia do Norte e jogou sete temporadas seguidas pelo 25 de Abril, atualmente tem 38 anos.

Choe Kum-Chol: Centroavante de ofício atuou somente em um jogo do Mundial, depois disso ficou na seleção até 2012, quando se transferiu para o Muangthong United. Anos depois retornou ao futebol norte-coreano e atua até hoje pelo Rimyongsu, equipe que nunca foi campeã da liga nacional.

 

Montagem: João Amaral/Mercado do Futebol.

Resta1

Jean Lucas

Criador e editor do site MF. Jornalista por formação, Geógrafo nas horas vagas, dono de um conhecimento vasto sobre o futebol, países e curiosidades que vocês somente verão em minhas matérias.