Está na hora de começar a jogar como menina!

“Joga que nem uma menina”. Na roda de amigos, essa frase pode ser uma ofensa, mas está longe de significar isso na realidade do esporte. As mulheres estão conquistando o seu espaço e provando que jogar como uma menina significa jogar com raça, entrega e, claro, muito talento.

As questões políticas e sociais influenciam diretamente na realidade do futebol. É importante ressaltar que os esportes não estão desassociados do que acontece na sociedade. Desse modo, o machismo instalado e normatizado prejudica o desenvolvimento do futebol feminino no Brasil.

As piadas e os comentários que depreciam a modalidade corroboram para a sua desvalorização. A falta de investimento, estrutura, visibilidade está intimidante relacionada à cultura machista. Dessa forma, é necessário combater a ideia de que futebol é um esporte masculino e de que as mulheres atuam em uma modalidade soft. A valorização está ligada principalmente a mudança de mentalidade. Já passou da hora de pararmos de reproduzir discursos machistas.

Se compararmos os times masculinos e femininos dos clubes brasileiros, poderíamos dizer que jogar como uma menina é o que tem de melhor no esporte. No Brasileirão Feminino Série A1, estão classificados para fase final: Santos, Corinthians, Internacional, Grêmio, São Paulo. Já no masculino, esses times não estão no seu melhor momento, com muitas dificuldades de afirmarem o seu futebol.

O país do futebol deve ser de todos e as mulheres estão provando que o futebol também é delas. Em um futuro próximo, espero que todos tenhamos orgulho de dizer que jogamos como uma menina.

Foto de capa: Divulgação Corinthians Futebol Feminino