Shelina Zadorsky e a luta além da busca pelo Ouro Olímpico

Shelina Zadorsky, defensora e melhor jogadora do Tottenham Hotspur na temporada, defenderá a seleção do Canadá, nas Olimpíadas de Tóquio, em busca do tão sonhado ouro olímpico. Entretanto, sua luta estará muito além da busca por uma medalha, devido à perda de sua prima Carley (uma de suas maiores apoiadoras), por suicídio, em março deste ano.

Mesmo em meio ao luto, Shelina e sua família criaram um grupo de arrecadação de fundos para o Centre for Addiction and Mental Health

, o maior hospital universitário de vícios e saúde mental do Canadá. “É uma loucura quantas pessoas conheceram um parente próximo ou amigo ou alguém com problemas de saúde mental. Quero que falem sobre isso e não quero que haja esse estigma de que devemos sempre estar bem o tempo todo e lidar com as coisas por conta própria”, revelou ao FIFA.com.

Ainda sobre a causa na qual apoia, Shelina Zadorsky afirmou: “Quero usar minha plataforma para dizer que não há problema em pedir ajuda. Tendo algo acontecendo tão perto de casa, percebi que a vida é curta e precisamos ajudar uns aos outros nesses momentos. A reação e o apoio que as pessoas deram foram além do que eu poderia esperar. Eu realmente aprecio isso. ”

Após uma temporada de destaque pelo Tottenham, na FA WSL, a defensora se prepara, juntamente com a seleção canadense, para os duelos do grupo, onde enfrentará o anfitrião Japão, Team GB e Chile. No ano de 2016, Shelina deixou o Brasil após conquistar a medalha de bronze.

Aos 28 anos, chegará em Tóquio para jogar por mais do que uma medalha. Além do peso de representar o seu país, entrará em campo para representar, também, sua prima Carley, que assim como os 38 milhões de canadenses, estará na torcida pelo tão sonhado ouro olímpico.