UEFA divulga preço dos ingressos para a final da Champions League

Ingreso Final Champions

A União das Associações Europeias de Futebol (UEFA) divulgou o valor dos ingressos da final da Champions League, que acontecerá no dia 28/05, em Paris. A partida disputada entre Real Madrid e Liverpool espera contar com 75 mil espectadores, e os ingressos custarão entre $70 e $690 euros. Na cotação atual, os preços variam entre R$350 e R$3,2 mil.

De acordo com o órgão, foram disponibilizadas cerca de 20 mil entradas para cada equipe. Do total, 15.600 ingressos são reservados para as categorias 3 e 4, localizadas nos setores atrás dos gols, e, tradicionalmente, voltados para as torcidas das equipes finalistas. 

Enquanto isso, os demais ingressos são reservados para as categorias 1 e 2, que inclui camarotes e lugares reservados para convidados.

Atualmente, os preços dos bilhetes variam entre 70 e 690 euros, valores mais baratos do que na temporada passada. Isso porque a UEFA disponibilizava, de forma gratuita, 5 mil ingressos das categorias 3 e 4 para cada time. Esse ano, o número de bilhetes aumentou, mas com uma pequena cobrança.

Dessa forma, os ingressos da final da Champions League na categoria 3 poderão custar 150 euros, ou R$795, em vez de 180 euros. As entradas da categoria 4 podem passar de 70 euros, ou R$371, para 60 euros, cotado em aproximadamente R$318. 

A capacidade do Stade de France é de 75 mil torcedores. Dos 35 mil ingressos restantes, 12 mil serão para o público em geral e os outros 23 mil vão ser distribuídos para convidados e patrocinadores da UEFA. 

Por conta das sanções sofridas pela Rússia, a final do campeonato teve sua localização alterada. Inicialmente, a sede seria no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, com capacidade para 68 mil pessoas. No Stade de France, mais torcedores poderão assistir ao jogo, independente dos valores.

Valores dos ingressos da final da Champions League não desmotivam torcedores

Embora as entradas para competições esportivas sejam mais em conta na Europa, os valores dos ingressos para a final da Champions League costumam ser mais caros que uma partida convencional. No entanto, o preço não desmotiva os torcedores.

Isso porque os fãs do campeonato aguardam, com entusiasmo, a final da Liga, conhecida como a maior competição do futebol europeu. Além dos jogos clássicos, entre times de alto nível, a preparação do evento também é elaborada.

Será possível esperar o tradicional show de abertura, que traz o hino da Champions League, um dos momentos mais aguardados entre torcedores e jogadores.

O hino marca o jogo final, e emociona os admiradores do campeonato. “Na final, é algo especial, e quando você ouve isso, você sabe que está em um grande jogo”, comentou Thibaut Courtois, que viveu uma final com o Atlético de Madrid, jogou pelo Chelsea e hoje defende o maior campeão do torneio, o Real Madrid, conforme apresentado na reportagem da Betway Insider, site de palpites em futebol.

Esse sentimento não é coincidência, uma vez que a canção da Liga foi pensada exatamente para corresponder à grandeza da competição.

O compositor do hino, Tony Britten, buscou inspiração em algo que remetesse aos elementos de tradição e história exigidos pela UEFA para a nova canção. Assim, a música que o inspirou foi Zadok the Priest, de Georg Friedrich Händel, criada para a coroação do Rei George II em 1727. Depois disso, a música passou a ser usada na coroação de reis britânicos e se tornou um símbolo da tradição, história e prestígio da coroa.

Por esse motivo, o hino e a apresentação da partida final se tornaram símbolos clássicos do campeonato, e muitos jogadores pagam os ingressos da final da Champions League apenas para prestigiar esse momento.

Elementos da Champions League remetem ao clássico e grandioso

Segundo Laurent Cochini, diretor de consultoria da Sixieme Son, especialista em marcas de áudio com sede em Paris, o hino da Champions League é “A referência em termos de música no mundo do esporte”. 

“Do ponto de vista estritamente musical, é um hino no sentido primário do termo: há um aspecto guerreiro, religioso. Além disso, musicalmente não está ligado ao período que foi composto. Os gostos musicais mudam o tempo todo, então é difícil ter continuidade. Mas esta é uma música clássica, então não está nem na moda, nem fora de moda”, diz Cochini, conforme mostra a matéria especial da casa de aposta Betway. 

É por conta desses elementos que tantos torcedores e jogadores se identificam com o hino. O sentimento pode ser equiparado à canção nacional de um país, por exemplo.

“Acredito que tem efeito similar ou até maior. No caso da seleção, isso passa mais pelo patriotismo que o atleta tem com seu país, identificação com a torcida, adicionado ao tempo que ele não joga em clubes do país dele. Alguns saem crianças do seu país e só jogam na Europa. Talvez o efeito do hino seja menor nesses casos. Além do mais, alguns jogos das seleções são mais fáceis, jogos amistosos. Num clube de nível de Champions, isso quase não acontece”, explica o professor Marcelo da Silva Marques, doutorando da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da Universidade de São Paulo (USP), em entrevista para a Betway.

Esse sentimento de pertencimento é essencial para motivar os torcedores, que já garantem seus lugares para assistir a grande final da Champions League e presenciar a apresentação marcante da canção que marca o último evento da temporada.

Os jogadores que podem sair do São Paulo de graça As notas dos jogadores do Bahia no empate diante do Grêmio É do Galo! Números de Pavón, em 2020-2021 Os 10 melhores jogadores do PSG no FIFA 12