Análise: sobrou vontade, faltou definição

Foi pegado e disputado. O Atlético-PR veio com uma proposta de jogo diferente da do Vasco; veio para marcar e sair nos contra-ataques. E deu certo, já que venceu por 1 a 0. O Vasco, por sua vez, foi para cima em busca dos três pontos, principalmente por ser mandante da partida. O jogo foi realizado no estádio Nilton Santos, devido à punição de seis jogos longe de São Januário.

Milton escalou o Vasco com a mesma base que entrou em campo na vitória contra o Atlético-MG. A única mudança foi a entrada de Guilherme Costa, no lugar de Escudero. O jogador, que é prata da casa, já vinha entrando bem nos últimos jogos, e ganhou a chance de iniciar a partida.
Com uma média de idade de 24 anos, o Vasco apostou na corrida, e no jogo rápido. Oscilando sempre Paulinho e Guilherme pelos dois lados. Mas a estratégia de Milton não deu certo. O Furação foi compacto e mal deu chances para os mandantes. Faltou alguém que cadenciasse mais o jogo. Alguém com mais experiência de saber pausar as jogadas forçadas. Desacelerar a correria.

O caminho continua sendo utilizar os garotos da base, porém, com a certeza de que vai haver essa oscilação durante o Campeonato. Sobra vontade nos garotos. Mas, em certos momentos, a equipe vai precisar de alguém que utilize de sua experiência para cadenciar e frear o entusiasmo desse jovem elenco vascaíno.

FIFA 23: time inicial da Liga Italiana para o Ultimate Team FIFA 23: dica de time inicial com jogadores brasileiros LIBERTA? Veja as notas dos jogadores do Botafogo no confronto contra o Goiás, pelo Brasileirão Mais líder do que nunca! Veja as notas dos jogadores do Palmeiras contra o Atlético-MG