O goleiro Charles, do Marítimo, de Portugal concede entrevista ao site MF

Charles Marcelo da Silva nasceu no dia 4 de fevereiro de 1994 na cidade de Belo Horizonte. Fostes revelado no Cruzeiro Esporte Clube e possui passagem pelo Vasco da Gama. Atualmente está no Marítimo, de Portugal. Conhecido e reconhecido pelas suas defesas e liderança em campo

 

Gosta de alguns esportes além do futebol? Quais?  R: Basquete.

Time do coração:  R: Cruzeiro.

Um hobby:  R: Andar a cavalo.

Filme favorito:  R: Não tenho filme em especifico, mas gosto de ver filmes.

Gênero musical favorito:  R: Sertanejo.

Uma música:  R: Propaganda – Jorge & Matheus.

Melhor jogo que já viu:  R: Brasil x Alemanha em 2002, final da Copa do Mundo.

Uma qualidade sua:  R: Muito amigo.

Um defeito seu:  R: Não saber dizer não quando tenho que falar.

Maior orgulho:  R: Ter ido para a seleção brasileira.

Tem algum arrependimento?  R: Não.

Uma frase que te inspira:  R: Jesus, eu confio em ti.

 

1- Tens uma rápida passagem pela base do Itaúna-MG, após isso foi formado pelo Cruzeiro, mas não chegou a ser aproveitado no profissional. O que se deve a isso? Poderia nos dizer qual o diferencial para que o time celeste forme tantos bons goleiros? Saberia me dizer o paradeiro atual do time do Itaúna?

R: A passagem pelo Itaúna foi um convênio que o Cruzeiro tinha com eles e a gente foi cedido pra disputar o Campeonato Mineiro por eles, foi uma experiência muito boa, até por que a gente estava jogando com um ano mais velho. Em relação a não ser aproveitado no time principal isso eu não gosto muito de falar, até por que nunca tive uma oportunidade para ter uma sequencia com eles, mas sou muito grato ao Cruzeiro por tudo que já fez por mim, pela minha formação tanto profissional e como ser humano. O clube é uma referência muito grande no mercado, pois tem grandes profissionais e isso vem gerando bons goleiros, com um altíssimo nível.

 

2- Teve algumas experiências com a camisa da seleção brasileira na base. Nos conte um pouco do título do Sul-Americano sub-17 em 2011? Além da performance do selecionado no Mundial da categoria? É um sonho conseguir vestir a camisa da seleção de forma profissional? 2022 seria a meta? Conte o que acha do que irá vir na disputa da Copa do Mundo deste ano?

R: A Seleção Brasileira é o maior objetivo de um jogador, e tive essa oportunidade de representar o nosso país, sendo 14 convocações e 2 sul-americano, e 1 mundial, e sendo que fomos campeões em 2011, sensação única ainda mais por ser encima da Argentina, então tem um gostinho diferente. Agora ser convocado para seleção principal é o maior sonho a ser realizado, porém sabemos que a concorrência é muito grande até mesmo pelos grandes goleiros que o Brasil fornece, mas isso não é impossível, então é trabalhar e deixar nas mãos de Deus. Em relação a copa desse ano, estou confiante que o Brasil possa fazer uma grande competição e consequentemente buscar o título.

Imagem: Marítimo (Portugal).

 

3- Vestiu a camisa do Vasco da Gama, saindo logo da base para o profissional. Como foi a experiência de atuar em algumas partidas na meta cruzmaltina? A falta de paciência da torcida com os atletas da base naquela época o prejudicou de alguma forma? Poderia nos contar sobre a estrutura do Vasco?

R: Tive uma passagem pelo Vasco da Gama por soia anos, sendo que foi o clube que tive a minha primeira oportunidade concreta no profissional, atuei no Campeonato Brasileiro fazendo 9 jogos, então pra mim foi uma experiência muito boa, aonde eu pude estar jogando um campeonato de um nível muito alto e muito disputado. Não vejo como falta de paciência da torcida, até por que se você joga em um grande clube com a grandeza do Vasco, a cobrança é normal, então isso para mim por mais que era minha primeira oportunidade, eu já tinha consciência que seria cobrado até mesmo pela sequencia que não era boa do time, contudo fui levando numa boa e pegando isso como experiência. Eu agradeço o Vasco por ter aberto as portas e ter acreditado no meu trabalho, a gente sabe que o futebol é muito concorrido e ainda mais no Brasil e num gigante como o Vasco, mas eu só tenho que agradecer por que eu cresci muito nesse grande time.

 

4- Chegou sem muito alarde no Marítimo, sendo a primeira temporada não atuou. Como é para um goleiro esperar o tempo de chegar a ser titular? Quais dicas daria para a nova geração de arqueiros que está se formando? Fez mais de 30 partidas e a equipe chegou em sétimo lugar, isso te anima para a próxima temporada? Como analisas a vitrine portuguesa em termos de negociação para outros clubes europeus?

R: Cheguei em 2016 sendo o quarto goleiro, estava ciente que não iria jogar, todavia nunca deixei de acreditar que por mais novo que era eu poderia estar crescendo e chegar no nível que eles queriam para poder atuar ou brigar por posição, e isso foi acontecendo aos poucos, fui me adaptando ao futebol português e as coisas aconteceram e nisso fui tendo evolução até que a minha oportunidade chegou e graças a Deus, aproveitando para me firmar a cada dia. A grande dica é trabalhar e trabalhar, nunca desanimar daquilo que você realmente quer, por que só assim você vai conseguir chegar ao sucesso. Jogar em alto nível, ainda mais tendo uma sequência muito boa, isso só motiva para próxima jornada, o nível não pode cair e isso motivo que a gente cresça a cada dia. Vejo que Portugal é uma vitrine muito boa, e o Marítimo é um clube de uma visibilidade muito alta, então eu sei que estou em um grande clube, aonde eles me receberam muito bem e estão fazendo o melhor.

Imagem: Marítimo (Portugal).

 

5- Uma mensagem para os colunistas e leitores do site mercadodofutebol.com?

R: A todos do Mercado do Futebol, queria deixar o meu grande abraço e agradecer pelo convite de estar contando um pouco da minha vida profissional. Muito obrigado.

 

10 jogadores que podem chegar ao Flamengo após parceria com empresário FIFA 23: As melhores jogadoras da Premier League feminina no game Os jogadores em atividade com mais partidas pela Argentina em Copas do Mundo Adversário duro! Relembre as campanhas da Croácia em Copas do Mundo