Precisamos ter um elenco, diz Paulinho Kobayashi em entrevista ao MF

Técnico do Imperatriz cobra a contratação de reforços

 

Paulinho Kobayashi se prepara para conduzir o time do Imperatriz (MA) pela segunda temporada consecutiva. O ex-atleta profissional assumiu o Cavalo de Aço em maio de 2019 e estreou no na Série C contra o Santa Cruz. O time chegou às quartas de final da competição. O bom desempenho resultou na renovação do contrato para a próxima temporada. Em 2018, Kobayashi comandou o Imperatriz por três jogos durante sua primeira passagem pelo clube.

Há pouco mais de um mês para o início da Copa do Nordeste e do Campeonato Maranhense, o técnico demonstra preocupação com o elenco e espera a contratação de reforços para a temporada de 2020. Com o calendário cheio, Kobayashi tem pela frente a disputa dos três títulos e a busca pelo acesso à segunda divisão do brasileiro. Confira o bate-papo entre a repórter Ananda Portilho e o técnico do Imperatriz, Paulinho Kobayashi.

 

AP: Kobayashi, a pré-temporada começou há cerca de dez dias. Com base no que você já viu e nos reforços que chegaram, é possível desenhar alguma escalação?

PK: É difícil, né. Mesmo porque com bola, só trabalhamos um dia. Na semana passada foram feitos exames e treinos físicos na academia, então é difícil essa avaliação. Nós temos que trabalhar mais tempo com bola. Nós temos que fazer a parte coletiva, porque a partir daí a gente começa a ter uma análise diferente da titularidade. É aquilo que eu sempre falo para eles: meritocracia. Depende deles mesmos, eles que vão se escalar. Eu só vou escolher aquele que eu achar que estiver melhor tecnicamente, taticamente, para que a gente possa ter essa equipe base, que não significa também que são titulares absolutos. Haverá mudanças, haverá trocas até ter a equipe ideal.

 

AP: Da última vez que conversamos você estava aguardando a chegada de reforços. Nesse meio tempo só chegaram o Jairo (goleiro) e o Hudson (lateral-direito). Com os 23 atletas que você tem hoje, dá para chegar nas competições com força?

PK: Não. De jeito nenhum. Precisamos reforçar mais, precisamos ter mais atletas. Precisamos ter um elenco. Não adianta ter um time, temos que ter um elenco porque são três competições ao mesmo tempo, o que requer atletas de qualidade. Então nós precisamos trazer esses atletas. Estamos tendo um pouco de dificuldade, principalmente na questão salarial. Nós temos que ter o pé no chão. Temos que ter a consciência de que precisamos ser corretos com os jogadores. Principalmente com aqueles que nós já contratamos e aqueles que vão ser contratados com o respaldo daquilo que vamos falar e vai se cumprir. Então, tudo isso daí está sendo pensado. Por isso essa demora em trazer alguns jogadores para nos ajudar.

 

AP: Quais são as posições que mais te preocupam como treinador e que precisam desse reforço com mais urgência?

PK: São várias funções. Funções do ataque, por exemplo. Nós precisamos de mais atletas. Não dá pra ter só dois ou três nessa função. Precisamos de muito mais. Precisamos de meias, são funções que exigem mais do que dois atletas, então tudo isso a gente tem que avaliar muito bem.

 

AP: Nesta quinta-feira tem o sorteio da Copa do Brasil. O Imperatriz está no pote E, que vai enfrentar os clubes do pote A, em sua maioria da primeira divisão. Como você enxerga isso?

PK: Eu enxergo de forma positiva. O Imperatriz vai estar sendo divulgado com clubes grandes. Só fica um pouco mais difícil, né? Você jogar com equipes da mesma categoria, de uma divisão menor ou até mesmo um clube que não esteja disputando um brasileiro, é mais simples. O objetivo é passar pra gente aumentar o caixa do Imperatriz. Mas também não vejo dificuldade de enfrentar qualquer time grande. Eu já vi muitos casos de clubes de divisões menores conseguirem ganhar das maiores. Eu mesmo, jogando em time grande, perdi pra time pequeno. E eu em time pequeno, ganhei de time grande. Então eu acredito sempre na minha equipe. Acredito no Imperatriz independentemente de quem venha a ser o adversário. Não sei quem é meu adversário.

 

AP: Não tem nem palpite?

PK: Bom, vai ser da Série A, eu acho (risos). Mas eu acredito no Imperatriz e vou fazer com que o time faça um jogo de igual pra igual, independente de quem venha a ser o adversário. Não posso falar “ah, vamos ganhar” ou “vamos passar”. Mas nós vamos brigar de igual pra igual, você pode ter certeza.

 

AP: A sua continuidade no Imperatriz foi desejada por muitos torcedores, que desde o ano passado sonham com o acesso para a segundona. O que esse torcedor pode esperar do seu trabalho e da equipe do Imperatriz para a próxima temporada?

PK: O acesso é um caso para a gente pensar depois porque os atletas que vão disputar essas competições difíceis. Tem que ver a adaptação deles. Não sabemos quantos vão ficar, nós não sabemos como será o entrosamento da equipe. A partir daí eu tenho certeza que a gente vai fortalecer ainda mais com outros jogadores ou até mesmo esses que estão aqui com entrosamento para que a gente consiga realizar esse sonho do Imperatriz e o meu também. Eu vim para o Imperatriz e eu quero marcar, não quero passar. A passagem foi em 2018, agora eu quero marcar. Eu quero fazer com que a equipe consiga os objetivos de 2020, não só o acesso, mas também o campeonato estadual. Avançar na Copa do Brasil e fazer uma excelente Copa do Nordeste.

 

AP: Você tem intenção de trazer de volta jogadores que integraram o elenco na última temporada?

PK: Isso aí depende também da disponibilidade deles, né? São atletas que vieram aqui, jogaram, fizeram bons trabalhos, bons jogos com a gente. Se tiver a oportunidade de voltar, dependendo do atleta, lógico que será bem-vindo. Nós não podemos dispensar jogadores que já conhecem o clube, já conhecem nosso trabalho e vão facilitar o meu. Então, se tiver essa oportunidade, dependendo do atleta, com certeza pode voltar, sim.

 

Foto: Johann Breno/Midiart Comunicação.
 

AP: Além das mudanças no elenco, a comissão técnica também foi modificada. Você acredita que isso pode interferir no aproveitamento dos atletas nesse primeiro momento?

PK: Não. Eu penso que eles (atletas) têm que entender a parte tática e a parte técnica. A comissão técnica vem mais para ajudar, no sentindo de apoiar, de estar fazendo com que esses atletas cresçam cada vez mais. Confira o elenco do Imperatriz nesta pré-temporada:

 

Goleiros:

Waldson

Jairo

Gustavo

 

Laterais-direitos:

Madson

Hudson

 

Laterais-esquerdos:

Lorran

Wesley

William

 

Zagueiros:

Rennan Dutra

Henrique

Tomais

Alysson

 

Volantes:

Da Silva

Dos Santos

Nonato Neto

Tibiri

 

Meias:

Gabriel Cajú

Rodolfo

Kariri

 

Atacantes:

Lucas Campos

Cesinha

Marquinhos Bala

Matheus

João Afonso

 

Foto de capa: Johann Breno/Midiart Comunicação.

Quem substitui o Neymar? A provável escalação do Brasil contra Suíça Passa nada! Os zagueiros mais valiosos da Copa do Mundo de 2022 Bernardo Silva rasga elogios ao Uruguai Fernando Santos confirma: Pepe será titular por Portugal