Em entrevista, William fala sobre rebaixamento e caso envolvendo Bolaños: “Recebi várias ameças”

Crédito: Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Crédito: Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O lateral-direto William, ex-Internacional concedeu entrevista ao canal “Vozes do gigante”. O jogador do Wolfsburg-ALE falou sobre assuntos como a eliminação na Libertadores de 2015, rebaixamento do clube gaúcho, além do fatídico lance envolvendo o atacante Miller Bolaños.

Sobre a eliminação para o Tigres na Libertadores de 2015, o lateral revela que declarações que antecederam a partida foram uma ‘arma’ para a equipe mexicana no confronto. “Os dirigentes deram arma para o Tigres. Às vezes é melhor fazer o trabalho quietinho e depois falar. Eles vieram muito mais motivados por algumas declarações. Foi uma arma que eles usaram.”

“O Tigres jogou melhor que nós no México, mas a parada nos atrapalhou muito. O D’Ale se machucou. O Sasha também parou em um momento bom. Acho que muitas coisas aconteceram na parada que nos prejudicaram.” completou sobre o assunto.

Em sua passagem pelo Beira-Rio, o lateral ficou marcado por conta de um clássico em que durante uma disputa de bola com o atacante Miller Bolanõs, acabou fraturando a face do jogador. William diz ter procurado Miller, mas por conta de uma conversa vazada entre ele e um dirigente gremista, acabou não indo visitar o atleta. “Eu queria ir no hospital depois do jogo ir ver o Bolaños. Estava conversando com um dirigente do Grêmio, mas ele vazou a conversa para um grupo de torcedores, que estavam me esperando lá no hospital. Recebi várias ameças”.

O lateral ainda falou sobre o rebaixamento do clube em que fez parte do grupo, revela mágoa com a antiga direção do clube por não ter sido “valorizado” e diz não estar surpreso com as investigações do MP. “Eu não gosto muito de falar da gestão 2016. Tive meus problemas. Inclusive na minha saída. Jogadores estavam tentando se manter unidos. Tivemos nossa parcela de culpa. Eu guardo isso até hoje, até por ser colorado”.

“Sinceramente, vou dizer que não acompanhei as questões do MP, mas não me espanta nada. Aquele ano foi complicado. Essa dor a gente tem no coração. Manchou nossa história. Mas as notícias não foram um espanto”. declarou.

Crédito: Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Os jogadores que podem sair do São Paulo de graça As notas dos jogadores do Bahia no empate diante do Grêmio É do Galo! Números de Pavón, em 2020-2021 Os 10 melhores jogadores do PSG no FIFA 12