Fique de olho: Manchester City e Lyon se enfrentam com fome de classificação para a semi da UCL

Valendo vaga na semifinal da Champions League, contra o Bayern de Munique, City e Lyon decidem a partida em Lisboa

A Champions League voltou com grandes emoções em agosto. Após jogos apertados, como PSG e Atalanta e RB Leipzig e Atlético de Madrid, os fãs de futebol passaram a acreditar nas chamadas zebras da competição, que de zebras não têm nada. E o Lyon entra nessa lista, após vencer a Juventus em Turim, partida válida pelas oitavas de final. Enquanto isso, o Manchester City se firmou como um dos favoritos, após vencer as duas partidas contra o Real Madrid. Os times se encontram no sábado (15), às 16h, no estádio José Alvalade. O jogo é único, valendo vaga na semifinal Champions.

Lyon na comemoração do gol contra a Juventus | Foto: REUTERS/Eric Gaillard

Quem pode desequilibrar o confronto a favor do Manchester City?

O Manchester City é um dos elencos mais entrosados da Europa e, comandado por Pep Guardiola, voltou com muito gás da paralisação do futebol. Na Premier League, foram 9 vitórias em 10 jogos. Além de ser um time bem treinado, algumas caraterísticas e personagens podem fazer a diferença no confronto.

Sem Sérgio Agüero, seu principal artilheiro, os comandados de Guardiola contarão com as habilidades de Gabriel Jesus. Nas oitavas, contra o Real Madrid, o brasileiro foi um dos principais responsáveis pela classificação. Ele marcou nos dois jogos das oitavas e não parece ter sentido a responsabilidade de substituir Agüero.

De Bruyne é uma das armas disponíveis e eficientes que Guardiola terá ao seu dispor. Ele faz parte da geração belga que encantou na Copa do Mundo de 2018, mas não é só de agora que o meio-campista é destaque. De Bruyne é um jogador completo, equilibrado entre defesa e ataque, tem resistência física e sabe como ganhar duelos no meio. Como tem essa característica de versatilidade, é um dos jogadores mais importantes do Manchester City. De acordo com o Sofascore, Kevin De Bruyne teve um percentual de 80% de eficiência por partida pelo Manchester City. Além disso, 82% dos dribles tentados foram bem sucedidos.

De Bruyne pode ser a chave para o confronto com o Lyon | Foto: Getty Images

Ataque potente e entrosado:

No ataque, o City também tem muita qualidade em sua linha. Apesar de não contar com Sérgio Agüero, Foden, Sterling e Gabriel Jesus dão conta do recado.

Começando pelo brasileiro, Gabriel Jesus teve a oportunidade de ir ao time titular com a lesão do camisa 10 argentino. Ele marcou 14 gols na temporada, mas segue como destaque do City. Jesus sabe se posicionar e tem habilidades importantes para desequilibrar um jogo. Já Sterling é “o cérebro” do ataque. Guardiola já destacou a mentalidade do jogador e como ele trabalha duro diariamente. “Todo jogador pode melhorar, todo time e todo técnico podem melhorar. Sterling tem a mentalidade para isso”, disse Guardiola. Já Foden é um dos jogadores mais jovens do elenco e, ainda de acordo com o treinador, é o mais talentoso que ele já viu. David Silva ainda por ser citado. Esta é a última temporada do espanhol no Manchester City

O Lyon pode ser considerado uma zebra?

Muito se falou sobre zebras e favoritismo nos elencos. Isso foi deixado para trás quando um Lyon bem organizado conseguiu anular a Juventus no estádio Groupama e, mesmo com a derrota, saiu classificado do jogo em Turim. O Lyon pode não ter um elenco de milhões, mas sabe se posicionar em campo com qualidade e alguns jogadores podem fazer a diferença contra o City. O time pode não estar tão em forma como o City, já que disputou apenas partidas amistosas e a final da Copa da Liga Francesa. Porém, foram 3 vitórias em 3 amistosos e uma derrota para o PSG, que aconteceu nos pênaltis da competição francesa. No jogo contra o Paris, o Lyon conseguiu igualar seu jogo com o time da capital.

Bruno Guimarães chegou do Athlético Paranaense como uma opção de qualidade para o meio de campo do time francês. Seu primeiro jogo de Champions foi contra o Juventus, onde acabou se destacando. Ele participou ativamente da vitória e classificação sobre o time de Sarri, com 68 toques na bola e 96,4% de precisão de passe. O técnico Rudi Garcia já citou a importância de Bruno para a composição do elenco. “Bruno não está conosco há muito tempo e nem jogou muitas partidas, mas é um jogador que gosto muito. Ele consegue se orientar no jogo muito bem, corre e também defende. É um jogador com espírito coletivo e é valioso nessa manifestação em campo”, finalizou o treinador em coletiva.

Bruno Guimarães durante a apresentação no Lyon | Foto: Divulgação OL

Confiança nos jovens com e sem experiência:

Ainda no meio de campo Aouar é um dos jogadores importantes no esquema de Rudi Garcia. Com 22 anos, Houssem tem 84% de eficiência por partida e 90% de eficiência nos passes no meio campo. Ele recebeu propostas de alguns clubes, como do próprio Manchester City, para substituir David Silva. Muito se fala sobre a possível saída, inclusive Juninho Pernambucano não garantiu a permanência do jogador na próxima temporada. Porém, o técnico do Lyon conta com ele para tentar parar o time de Guardiola.

O ataque do Lyon tem muita qualidade também. Dembelé marcou 22 gols em 44 jogos, enquanto Depay tem 15 gols em 20 partidas. É uma dupla de ataque entrosada e que consegue fazer bom proveito das adversidades. Mesmo voltando de lesão, Depay deu a volta por cima e marcou, de pênalti, na partida de volta contra a Juventus. Frios e com faro de gol, as habilidades individuais tanto de Memphis quanto de Dembelé podem ser essenciais para dar trabalho ao City.

Além disso, destaque para o goleiro Anthony Lopes. A consistência do arqueiro durante a Champions foi essencial para chegar às quartas. Bom posicionamento e defesas difíceis fazem parte do repertório do camisa 1.

A palavra final dos treinadores:

Rudi Garcia é um técnico com o pé no chão: reconheceu a qualidade do adversário, mas disse que a vitória contra a Juventus deu confiança ao Lyon. “Claro, temos um objetivo maior, e você aumenta o seu apetite uma vez que começa a comer. O Manchester City naturalmente é favorito, mas o começo das quartas de final da Liga dos Campeões mostrou que as chances podem ser revertidas. Baseado nos dois primeiros jogos, podemos mudar esse cenário “, disse o técnico em coletiva. Ele ainda destacou que quer seguir os passos do PSG, que joga contra o RB Leipzig na semifinal. “Seria histórico ter dois times franceses entre os últimos quatro, então realmente queremos seguir o PSG nisso”, finalizou.

Rudi Garcia diz que o time precisa ter coragem contra o City | Foto: Damien LG/OL

Já Pep Guardiola vê o confronto como imprevisível. Com as partidas únicas, é difícil dizer quem estará mais inspirado no dia e o técnico espanhol sabe bem disso. “Qualquer coisa pode acontecer. É uma competição diferente. Cada partida é uma final e estamos prontos para dar o melhor de nós para passar para a próxima fase”, analisou Pep.

Guardiola não quer ser chamado de “favorito” | Foto: Handout/UEFA/AFP

Foto em destaque: Romain Lafabregue / AFP

Resta1

Giovana Assis

Jornalista em formação. Fã de futebol italiano, francês e de Franco Baresi.