Flamengo faz novas exigências e trava ida de Natan ao Red Bull Bragantino

Após ter tudo praticamente selado, o Rubro-Negro voltou atrás e a ida de Natan ao Massa Bruta ganhou contornos de novela.

Antes dada como certa, a ida de Natan para o Red Bull Bragantino virou uma incerteza. Nesta sexta-feira (12), o Flamengo fez novas exigências ao Porto Vitória, do Espírito Santo, que detém 40% dos direitos econômicos do zagueiro, e o negócio estacionou nas últimas horas. A atitude do Rubro-Negro pegou de surpresa aos envolvidos.

Dessa forma, durante a negociação com o Red Bull Bragantino, que se iniciou em janeiro, o clube carioca, que tem 60% dos direitos econômicos de Natan exigiu que o Porto Vitória cedesse uma parte do percentual para que a negociação acontecesse. Sendo assim, o Rubro-Negro receberia um valor maior do que tem direito na ida do zagueiro ao Massa Bruta. O acordo foi selado e o clube paulista enviou o papel timbrado ao Flamengo.

No entanto, uma reviravolta aconteceu nesta sexta-feira. O diretor executivo do Rubro-Negro, Bruno Spindel, entrou em contato com André Cury, empresário que faz a ponte na transação, e fez novas exigências. Logo após, o agente ligou para a diretoria do Porto Vitória e passou a informação de que o Flamengo exigiu mais uma parte dos direitos econômicos do zagueiro. Acima de tudo, a cúpula da equipe não gostou nada e disse que não iria abrir mão de mais percentual do defensor. Dessa forma, a negociação fica estacionada e a ida de Natan ao Red Bull Bragantino ganhou contornos de novela.

Uma das revelações do Campeonato Brasileiro de 2020, o zagueiro surgiu enquanto o time enfrentava um surto de Covid-19 e surpreendeu. Posteriormente, assumiu a vaga de titular com Domènec Torrent e ganhou uma sequência. No entanto, com a chegada de Rogério Ceni, as chances foram diminuindo e sua participação nos jogos se tornaram esporádicas. No Carioca, o atleta está como capitão do sub-20 do Flamengo e mais uma vez atuando muito bem.