De saída do Bolamense, Maldonado olha para o futuro: “coisas boas ainda estão por vir”

O Bolamense se despediu da segunda divisão do Candango com um desempenho muito ruim: foram quatro derrotas em quatro jogos e a pior campanha. Além disso, algumas goleadas acabaram deixando a onça pintada longe o sonho do acesso

O atacante do time, Maldonado, que teve problemas com lesão durante a sequência de jogos, lamenta que o desempenho não tenha sido o esperado, mas tem ânimo para o futuro e fala sobre digerir as derrotas como melhor forma de encarar a situação:

“Comecei lesionado no calcanhar, mas consegui me recuperar. Mesmo assim, acho que individualmente eu consegui me entregar ao máximo e por isso, graças a Deus, recebi sondagens de clubes para a próxima temporada. Não queria que o fim no Bolamense fosse assim, mas são coisas que acontecem no futebol.”

Sobre o insucesso no Bolamense, Maldonado fala que são aprendizados. Perguntado sobre os motivos de as coisas não terem dado certo, o atacante cita a dificuldade no entrosamento, mas garante que vontade não faltou:

“Acho que faltou entrosamento, a gente correu, deu o sangue, mas faltou uma coisa ou outra técnica, mas isso cada um vai melhorando. Em termos de união e dedicação, posso falar para você que não faltou ao grupo, mas devemos reconhecer, também, que não foi um grande desempenho. Os resultados falam.”

Jogador com velocidade, drible e finalização boa, Maldonado teve passagens por Jorge Wilst ermann e Aurora, na Bolívia. Além desses, jogou pelo Bacabal e Atlético Serranense. O pensamento dele sobre a passagem no Bolamense é saber digerir o momento e seguir em frente:

“Quem não sabe perder não vai saber ganhar. A vida não é feita só de vitórias e tem que saber lidar com os dois. A gente sabia que seria difícil, pois o campeonato tem boas equipes, mas é assim mesmo, uma experiência que serve para evolução. Estou focado nos próximos objetivos na minha carreira.”  

Imagem: Bolamense