Futebol além dos jogadores com o massagista Rodrigo Gregorio

Nos conte um pouco da sua carreira: 

Minha carreira começou através de um amigo que fiz pela internet o Robson Aguiar de Minas Gerais, eu tinha falado para ele que meu sonho era trabalhar no futebol, passou um tempo ele me mandou um WhatsApp falando que um amigo dele chamado Felisberto estava precisando de um massagista no Prata, na hora eu falei meu amigo eu nunca fiz massagem na minha vida, mas ele falou fica tranquilo que o Felisberto antes de virar treinador ele já foi massagista do Ronaldo Fenômeno no Cruzeiro, América mineiro e vai te ensinar tudo. Eu como sempre gostei de desafios na minha vida aceitei na hora e embarquei pró Prata, lá o Felisberto me ensinou tudo e fez eu amar ser massagista.

 

Como foi a experiência no Prata-MG

A minha experiência no Prata foi a melhor possível, fizemos uma campanha maravilhosa na base, levando pela primeira vez o Prata a oitavas de finais do campeonato mineiro Juvenil e o infantil a semifinal. A cidade e a população Pratiana me acolheu muito bem, hoje tenho muitos amigos na cidade, sou reconhecido na cidade, recebo muitas mensagens de jogadores e de amigos da cidade pedindo meu retorno, creio que um dia voltarei para puder retribuir todo carinho da população Pratiana, tenho o Prata como minha casa, sou muito grato a Deus por te colocado o Felisberto na minha vida, porque nada disso teria acontecido se não fosse Deus e ele, hoje não tenho só o carinho de amigo por ele e sim tenho ele como um pai.

Foto: Prata-MG.

 

Como foi a experiência de trabalhar no futebol amazonense? 

Foi uma experiência boa e ruim, o Holanda foi o primeiro clube que trabalhei no Profissional e isso para mim foi muito bom profissionalmente, aprendi muito e fiz muito amigos em Manaus, o Presidente Leão Brauna que infelizmente veio a falecer ano passado me deu todo apoio na minha passagem em 2015 pelo clube, lá eu fui terceiro colocado da Copa Amazonas. Mas tivemos muitos problemas extra campo com alguns diretores e até o vice-presidente na época que não pagou o nosso salario e nem a nossa passagem para retornar para casa. Mas sou muito grato ao Holanda pela oportunidade e se um dia eu tiver oportunidade de retornar para o futebol amazonense eu irei e darei o melhor de mim.

 

Você é um cara que procurou se qualificar na profissão, quais cursos você fez? 

Massoterapia pelo instituto Brasileiro de ensino profissionalizante. Massoterapia pela faculdade Simonsen-RJ. Kinésio Taping pelo centro educacional de Lisboa-Portugal e estou cursando faculdade de gestão desportiva e do lazer pela Universidade Brasil.

 

Metas para 2018? 

Minha meta é conseguir ir trabalhar num grande clube do Futebol Brasileiro para puder não só crescer profissionalmente e sim poder ajudar minha mãe financeiramente para ela não precisar mas sair 5 horas da manhã para fazer faxina em casa de família. Quero também te condições de financiar meu apartamento e ajudar minha namorada Mariana que é uma mulher maravilhosa, amiga, companheira em todas as horas.

Foto: Holanda-AM.

 

Sua família apoia sua profissão? 

Por eu ser filho único no inicio minha mãe sentiu muito, mas eu falei para ela que a distância era preciso porque estava em busca de conseguir me estabilizar para da uma vida melhor para nós e hoje ela me apoia muito, Minha namorada Mariana me dá muito apoio, o que eu preciso ela me ajuda, ela diz que não podemos perde as oportunidades, ela é uma mulher guerreira como minha mãe, é nelas que eu busco forças para ir em busca dos meus objetivos.

 

Um idolo no futebol?

Casagrande pela superação.

 

Como foi defender a camisa de um clube dos mais tradicionais do rio? (Bonsucesso)

Eu não tinha a dimensão como o Bonsucesso e sua torcida é tão grande e apaixonada, foi uma experiência maravilhosa, vestir e a camisa do Bonsucesso para mim foi uma honra, fui muito Feliz lá, primeiro clube que trabalhei no meu Estado, espero um dia retorna ao clube e pode da muita alegria a torcida Rubro Anil.

 

Experiência no Macaé, nos conte um pouco: 

Foi uma experiência muito boa, tivemos toda estrutura para trabalhar, é um clube de chegada no futebol Carioca e que abriu as portas para eu pode fazer o que mas amo.

 

Como que está sendo trabalhar no Duque de Caxias? 

Esta sendo um sonho, o Duque de Caxias sempre foi meu segundo clube no Rio de Janeiro, eu e meu primo Rafael Dias sempre acompanhamos o Duque desde a Série C do campeonato Brasileiro, lembro do jogo contra o Criciúma que valia o acesso para Série B, mas infelizmente no final do jogo o atacante Marcos Denner fez o gol no final do jogo pro Criciúma e acabou com nosso sonho do acesso. Esse ano tive o prazer de conhecer o Dilsinho gerente de futebol do Duque de Caxias, e ele me abriu a porta do Duque e eu estou lá somando com eles e creio que Outubro que é o término do campeonato Carioca da Série B1 teremos conseguido nosso grande objetivo que é o acesso para primeira divisão do campeonato Carioca 2019.

Foto: Duque de Caxias-RJ.

 

Deixe um recado para os amigos e admiradores do seu trabalho: 

Agradeço aos meu amigos e a todos os admiradores que acompanham meu trabalho, pelas orações e pela energia positiva que vocês me passão, se vocês tem um sonho, vão em frente, nunca desistam do sonho de vocês, coloquem sempre Jesus na frente de tudo e no final vocês vão ver que Jesus ainda realiza sonhos.

 

Ficha Técnica:

Rodrigo Martins Gregório
 Data Nasc: 30/03/1988

Clubes
⚑ Prata Esporte Clube – MG
⚑ Holanda Esporte Clube – AM
⚑ Bonsucesso Futebol Clube – RJ
⚑ Macaé Esporte Futebol Clube – RJ

 Formação:
– Massoterapia – Instituto Brasileiro de ensino profissionalizante
– Gestão Desportiva e Lazer – 1º período Cursando (Universidade Brasil)

 (21) 9.6874-3728

 Campeonato Mineiro IMEF sub 15
 Campeonato Mineiro IMEF sub 17
 7ª Copa Dadazinho
 Copa Amazonas 2015
 Campeonato Carioca Sub 20
 Copa Amazonas

 3º Colocado da Copa Amazonas.