Abel Braga elogia postura do Fluminense em campo, mas lamenta algumas decisões erradas: “Era para matar o jogo”

O Fluminense enfrentou neste domingo o Bahia, no estádio Octávio Mangabeira, pela décima segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O tricolor carioca saiu na frente no placar, com Wellington Silva, e segurou a pressão do Bahia mas não conseguiu evitar o empate no fim do segundo tempo. O 1 a 1 assegura o Flu na sétima posição da tabela. Após o empate, o técnico Abel Braga elogiou a postura de sua equipe em campo e lamentou algumas decisões erradas que impediram o time carioca de sair com a vitória:

“Foi o que pensamos pro jogo. Não estávamos preocupados com a posse de bola. Queríamos fazer gols. Fizemos um e tivemos mais chances claras. O Bahia empatou em uma felicidade do menino que entrou. O que não me deixa plenamente satisfeito é que tivemos algumas oportunidades com superioridade numérica no ataque, era para ter matado o jogo. Não é à toa que temos o melhor ataque do país. A estratégia era essa. Sabíamos que eles dariam espaço. Do mesmo jeito que é normal que venham para cima. Procuramos dificultar e dificultamos. Foi bom, agora é pensar no clássico.”

“O primeiro tempo foi muito complicado. Mas o que pensávamos realmente aconteceu. É um momento difícil para o Bahia, está há muitos jogos sem ganhar. Mas teve muita orientação positiva do Jorginh o. Eles tocaram bem a bola. Demos uma espetada e poderíamos ter dado a segunda durante todo o jogo, até levarmos o empate. No segundo tempo, o Bahia tinha a bola, mas não criou situação de gol. Fez o gol num belo chute de longe. Mesmo depois do empate, tivemos a chance do segundo. Erramos o último passe, não optamos pela melhor opção. São cinco jogos sem perder, campeonato muito difícil, cada jogo é uma equipe.”

O próximo jogo do Fluminense será na quarta, contra o Botafogo, no Maracanã. No clássico, o comandante tricolor não poderá contar com Henrique Dourado e Marcos Júnior, que receberam o terceiro cartão amarelo. Já Richarlison volta ao time após cumprir suspensão.

“Sabia que ele (Dourado) não ia suportar os 90 minutos. Wellington também não ia conseguir manter o mesmo rendimento até o fim. Wellington não sentiu nada, Dourado ainda sentiu uma coisinha, quase saiu no intervalo. Agora vamos pensar no Botafogo, na estratégia, mexer mínimo possível na escalação para buscar a vitória” – encerrou.

Para o capitão Henrique, não houve erro do sistema defensivo, e sim méritos do atacante, João Paulo, que acertou um chute improvável e indefensável:

“A gente estava bem posicionado. O gol deles foi um belo chute de fora. A equipe jogou bem, conseguimos o gol no primeiro tempo, mas sofremos o empate. Agora é pensar no clássico na quarta-feira” – disse na saída de campo.