Ponte Preta vence Náutico em jogo de reviravoltas

No jogo de abertura da 16ª rodada da Série B, Náutico e Ponte Preta se enfrentavam no campo dos Aflitos, em Recife. O Timbu – que estreiava seu mais novo uniforme pela primeira vez na história desenhado por um torcedor – vinha de cinco jogos sem vencer e lutava contra o rebaixamento. Enquanto a Macaca demonstrava desempenhos inconstantes até a partida, porém tinha suas atenções voltadas para o acesso.

Primeiro tempo

O Náutico iniciou com muita intensidade e buscando atacar os corredores laterais adversário. Hereda e William Simões eram as válvulas de escape do alvirrubro nas perigosas transições. Tanto Rhaldney – buscando inverter para as alas alvirrubras – quanto Jorge Henrique – associando com William Simões – tinham papéis importantes para que as jogadas pelos corredores fluíssem.

O Timbu pressionava e incomodava a Ponte Preta na saída de jogo e buscou ocupar o lado da bola com muitos jogadores, causando superioridade numérica. Os corredores da Ponte apresentaram muitas fragilidades. Além disso, no 4-4-2 no momento sem bola do visitante, as brechas entre as linhas eram nítidas, e, com isso, Jean Carlos flutuou por aquele espaço sendo acionado e acelerando nos contra-ataques.

O alvinegro apostou nas ligações diretas da defesa para o ataque, porém a equipe não se estruturava a fim de ganhar a disputa pela segunda bola. Na parte da criação, João Paulo, o artilheiro da Macaca nesta Série B, foi pouco acionado. Vale ressaltar que as movimentações dos pontas também não surtiram efeito na marcação alvirrubra.

Segundo tempo

Ao contrário do que performou na segunda etapa, a Ponte mostrou-se atenta nas suas laterais e, dessa vez, haviam duas formas claras de alternativas ofensivas: bolas áreas e contra-golpes. Logo aos 7′, Matheus Peixoto sai da área e cruza na medida na cabeça de João Paulo. O meia ganha o duelo pelo alto de Hereda e abre o placar nos Aflitos.

Após um bom primeiro tempo do Náutico aproveitando as debilidades da Ponte, a mesma na segunda etapa ajustou seu sistema defensivo e compactou suas linhas. Como citado anteriormente, a opção por bolas áreas foi a solução. Aos 68′, Bruno Lazaroni cobra boa falta e Dawan desvia de cabeça para anotar o 2 a 0 no placar.

Em contrapartida, o segundo período foi de muita dificuldade do Timbu em se movimentar para achar espaços, não conseguindo progredir na saída de bola e um time desesperado para marcar o gol. O time dos Aflitos ainda tentou com algumas substituições, mas nada mudou: 2 a 0 para os visitantes.

Disputas diferentes na competição

Com os dois gols da partida, a Ponte Preta das 16 partidas que jogou, marcou um gol nas 14 que disputou. Agora, o clube paulista ocupa a 2ª colocação e enfrenta a Chapecoense, no Moisés Lucarelli. Por outro lado, o Náutico luta contra o descenso. Atualmente tem 15 pontos e está na 15ª colocação sendo considerada uma situação complicada para o Timbu visto que faz jogos bons em determinados períodos do jogo, contudo os resultados não estão vindo e isso preocupa para o decorrer da Série B.

(Foto: Ponte Preta oficial)

Resta1