Ídolo do Palmeiras e atual técnico do Cerro, Arce fala sobre confronto: “Não tem time imbatível”

Foto: Staff Images/Conmebol

Ex lateral do Palmeiras e atual técnico do Cerro Porteño está “sonhando acordado” para enfrentar o Palmeiras nessa quarta

O Palmeiras começa nessa quarta-feira a participação na fase eliminatória da Copa Libertadores da América. Atual bicampeão do torneio, o Verdão encara o ídolo e ex-lateral Arce, agora comandante do Cerro Porteño, do Paraguai.

Arce vai reencontrar pela primeira vez o alviverde como treinador. O ex-lateral fala do carinho pelo alviverde, mas diz que vai buscar a vitória na partida de hoje:

– Vai ser uma sensação ótima. Tenho um respeito único, valorizo muito o tempo que passei ali. Cinco anos é muito para um jogador permanecer atualmente com grandes momentos, conquistamos a primeira Libertadores. Eles (Palmeiras) vão tentar nos eliminar e nós vamos tentar eliminar eles. Mas acho que vão me receber bem. Não acho que seja diferente só porque vamos nos enfrentar – comentou Arce.

Formado nas categorias de base do Cerro, Arce já é o treinador com mais jogos, com mais vitórias e está a uma vitória de alcançar a 100ª pelo clube paraguaio:

– Assinei por quatro anos para fazer uma reestruturação nas categorias de base, sei que é muito difícil em qualquer lugar do mundo. Minha ideia, não só pelo lado profissional, mas para devolver ao clube e deixar uma um linha de trabalho, um projeto esportivo, é terminar os quatro anos.

Em relação ao confronto dessa noite, contra o Palmeiras, Arce entende que o Palmeiras é o grande favorito mas não esconde a confiança em seu elenco:

– Eu acho que não tem nenhum time imbatível. Eles têm pontos muito fortes, dá para notar que têm uma fortaleza mental única, eles não se entregam muito. Todos os jogos que acompanhamos para fazer análise foram desse jeito. O jogo contra o São Paulo foi assim, parecia que o jogo estava ganho e em três ou quatro minutos conseguiram uma virada, contra o Atlético-GO também… É um time muito efetivo, tem uma grande capacidade de recompor defensivamente e muita velocidade para atacar.

– Tem muito para se olhar. Vamos tentar jogar também porque temos que golpear e machucar nos pontos fracos que achamos que podemos conseguir para fazer gols. Não podemos ficar o tempo todo defendendo porque aí fatalmente a gente vai perder o jogo e a classificação. A gente acredita muito no potencial que temos e vamos tentar estar no auge para levar a classificação.

A partida será disputada hoje (29), às 19h15, no Estádio General Pablo Rojas.

ÚLTIMA DANÇA? Confira os contratos dos 20 pilotos de Fórmula 1 para a temporada de 2023 Vai poupar? A provável escalação do Brasil contra Camarões As piores campanhas das Seleções campeãs mundiais em Copas do Mundo As Eliminações Belgas em Copas do Mundo