Leila Pereira já teria favoritos para compor diretoria de futebol do Palmeiras em 2022

(Foto: Cesar Greco | Ag. Palmeiras - Dilvugação)

Principal nome para substituir Maurício Galiotte, Leila Pereira já teria nomes para dirigir o futebol do clube, caso seja eleita

A pouco mais de 2 meses das eleições presidenciais no Palmeiras, o clima já começa a esquentar e nomes começam a ganhar força para compor a nova diretoria. Candidata favorita a substituir Maurício Galiotte, Leila Pereira, já teria nomes para assumir as funções de diretor de futebol e assessor técnico, hoje ocupadas respectivamente por Anderson Barros e Edu Dracena.

Segundo apurou o site NOSSO PALESTRA, João Paulo Sampaio, atual diretor de futebol da vitoriosa categoria de base palmeirense nos últimos anos, é o favorito para substituir Anderson Barros a partir de 2022. João é bem avaliado por Leila Pereira, por ter uma postura mais agressiva no mercado, semelhante ao do antigo diretor, Alexandre Mattos.

Já para o cargo de assessor técnico, hoje ocupado pelo ex-zagueiro Edu Dracena, o nome do ex goleiro e ídolo do Palmeiras, Fernando Prass, é o favorito. Hoje, Prass é aluno na Faculdade das Américas, de Leila Pereira, e estagiário no clube. A volta do ídolo palmeirense seria um desejo pessoal de Leila e teria forte aceitação da torcida. A informação é do jornalista Jorge Nicola.

Outros departamentos, como o de comunicação e marketing, também devem sofrer mudanças com a nova presidência mas nenhum nome ainda foi especulado.

Leila já fez um convite formal para Paulo Buosi, atual vice presidente de Mauricio Galiotte, que aceitou o cargo e deve integrar a nova diretoria do Palmeiras. A ideia da empresária, dona das empresas patrocinadoras do Palmeiras (Crefisa e FAM), é a de manter uma estrutura semelhante a atual, mas com nomes de sua confiança.

Já do lado da oposição, ainda não há nenhuma candidatura oficializada. Mario Gianini, aliado do ex presidente Mustafá Contursi, é o principal nome para concorrer ao cargo com Leila Pereira. Atualmente, Mario é conselheiro do Palmeiras e fez parte das gestões de Arnaldo Tirone, em 2011 e 2012, como vice-presidente.