Fair-play financeiro da UEFA dificulta planos do PSG na janela

Foto: Paris Saint-Germain Football/PSG via Getty Images

Conhecido pela agressividade no mercado dos últimos anos, o PSG assusta diversos torcedores pela sua postura cautelosa na atual janela de transferências. Até o momento, foram apenas três contratações (Hugo Ekitike, Vitinha e Nordi Mukiele), além da compra em defintiva de Nuno Mendes, o que levanta dúvidas aos fãs.

Isso acontece por causa da volta do fair-play financeiro da UEFA após dois anos de alívio, devido a pandemia da Covid-19. A partir da atual janela, a entidade iniciou um novo ciclo de três anos de auditorias nas contas de todos os clubes europeus e que terão 60 milhões de euros como limite de perdas no período.

Isso explica as poucas movimentações dos parisienses na janela e apenas contratações pontuais para o elenco. O PSG gastou grande parte dos 80 milhões de euros que tinha em caixa para trazer reforços, valor que também deve pagar os salários astronômicos de Mbappé, Messi e Neymar, segundo o jornal L’Équipe.

Ao todo, o clube desembolsou cerca de 35 milhões de euros na aquisição de Nuno Mendes, a primeira prestação dos 41 milhões de euros paga ao Porto por Vitinha e a taxa de transferência pela chegada de Mukiele, repartida em quatro anos.

Por isso, a direção da equipe da capital francesa, liderada por Luis Campos, segue em dificuldade para concluir as operações de Skriniar, da Inter de Milão, e Renato Sanches, do Lille.

Os 10 jogadores com mais cartões amarelos no Brasileirão 2022 Os 10 goleiros com mais defesas difíceis no Brasileirão 2022 Os artilheiros das últimas 10 edições do Campeonato Italiano TOP 10! OS MAIORES ARTILHEIROS DO BRASIL EM 2022