Os dados apontam a difícil situação de Isco

O meia espanhol vive o seu pior momento desde que chegou ao clube em 2013, e as estatísticas só comprovam tal situação. Isco deixou de ser um jogador protagonista para ser um totalmente questionável, a última derrota foi a gota d’água para a paciência do Real Madrid. Em comparação com as últimas temporadas, as estatísticas só mostram o quanto está difícil a situação do meia.

MÉDIA DE MINUTOS JOGADOS POR JOGO:

Temporada 2017-18: 64.

Temporada 2014-15: 63.

Temporada 2015-16: 63.

Temporada 2013-14: 60.

Temporada 2018-19: 56.

Temporada 2016-17: 55.

Temporada 2019-20: 55.

Temporada 2020-21: 47.

Sua importância com Zidane caiu bastante. Em temporadas anteriores o espanhol era um dos mais usado, hoje em dia é comum ver Isco entrando nos minutos finais ou nem participando dos jogos.

Gols marcados:

Temporada 2017-18: 17.

Temporada 2016-17: 13.

Temporada 2013-14: 12.

Temporada 2018-19: 7.

Temporada 2014-15: 5.

Temporada 2015-16: 5.

Temporada 2019-20: 3.

Temporada 2020-21: 0.

Por não ser um atacante nato, essa estatística pode até não fazer tanto sentindo. Porém é notório a baixa produção ofensiva de Isco ao longo das últimas temporadas.

Assistências dadas:

Temporada 2014-15: 11.

Temporada 2016-17: 11.

Temporada 2017-18: 11.

Temporada 2015-16: 10.

Temporada 2013-14: 8.

Temporada 2018-19: 3.

Temporada 2019-20: 2.

Temporada 2020-21: 0.

Nesta parte, a dinâmica negativa é mais acentuada  na temporada 2018-19, quando o meia começou a cair nos números de assistências. Parece que a magia que o espanhol trazia em campo não existe mais, e sua visão de jogo acaba perdendo a eficácia.

Chutes a gol por jogo:

Temporada 2017-18: 0’78.

Temporada 2016-17: 0’56.

Temporada 2018-19: 0’51.

Temporada 2019-20: 0’51.

Temporada 2014-15: 0’48.

Temporada 2015-16: 0’48.

Temporada 2013-14: 0’38.

Temporada 2020-21: 0’17.

Por fim, o número de chutes a gol do meia caiu drasticamente. Isco não leva perigo ao adversário nem acrescenta muito ao ataque do Real Madrid. A situação do meia tende a ficar complicada, Valverde antes da lesão havia se estabelecido no time titular, Modric se tornou um reserva de luxo e sempre acrescenta, e Odegaard voltou pronto para mostrar serviço.

FOTO DE CAPA: Getty Images

Resta1

Matheus Ramos

Estudante de jornalismo, amante do futebol espanhol, em especial do Real Madrid.