“Perdi a cabeça por ciúmes”

Disse Wesley, atacante do RB Bragantino, após agredir e golpear sua namorada com uma faca.

Wesley Pionteck, atleta de 24 anos do Red Bull Bragantino, é mais um caso de atleta condenado por agressão a mulheres. O caso veio a tona após o Santos ter anunciado a contratação do atacante Robinho no último sábado (10). O atleta do Santos é condenado por estupro na Itália, onde, ao lado de mais 4 amigos, estupraram uma garota albanesa em 22 de janeiro de 2013, quando o jogador ainda pertencia ao Milan. 

O atleta do time de Bragança Paulista foi condenado em outubro de 2019 a 1 ano e 4 meses de prisão, após ter agredido a sua ex namorada, na época a atual. 

Wesley é mais um condenado por ter agredido uma ex companheira em atuação no futebol brasileiro. Além dele e Robinho, nós temos outros casos de agressão, como o Goleiro Jean (não condenado) do Atlético-GO e o Cuca, um dos condenados pelo escândalo de Berna em 1987, quando ainda atuava como jogador pelo Grêmio, e hoje, comanda Robinho e o time do Santos.

O Red Bull Bragantino ainda não se pronunciou a respeito e seus patrocinadores se isentaram do assunto. A assessoria de imprensa do Bragantino diz ter uma agenda relacionada a causas sociais, com ações nas redes sociais promovendo o combate ao racismo, o orgulho LGBTQIA+ e a conscientização sobre o câncer de mama, entre outros assuntos. Desde que a atual gestão assumiu, em 2019, contudo, a violência contra a mulher não foi pauta dentro do clube.

O jogador de 24 anos estreou na elite brasileira do futebol no último domingo (11) diante o Atlético-GO em Goiás, time do goleiro Jean.

crédito de imagem: Ari Ferreira/Bragantino

Resta1