Maranhão | FMF, clubes e Governo do Estado vão discutir a volta do futebol

Desde que a Confederação Brasileira de Futebol recomendou a paralisação das competições e atividades futebolísticas em março, por causa da pandemia do novo coronavirus, a pergunta que ronda federações, clubes, atletas e torcidas é quando será o retorno do esporte mais popular no país.


No Maranhão, a volta das atividades vai ser discutida pela primeira vez entre os times, a Federação Maranhense de Futebol e o Governo do Estado por meio da Casa Civil e da Secretaria de Indústria e Comércio. A reunião está marcada para o próximo dia 12. De acordo com o presidente da FMF, Antônio Américo, a federação vai levar uma prop osta de data, mas Américo não quis revelar para qual mês seria o retorno proposto pela instituição. “Só vamos falar quando tiver tudo definido porque as pessoas ficam na expectativa”, frisou.

Na última sexta-feira (29) o governador do Maranhão, Flávio Dino, comentou de modo geral sobre o retorno de atividades esportivas no estado e garantiu que esse assunto, até aquele dia, não estava na pauta do governo.


Enquanto isso os clubes maranhenses vão se virando para manter os salários em dias. Dos oito times que disputam a Série A do Campeonato Maranhense, pelo menos dois dispensaram todos os atletas. As diretorias do Cordino e do Pinheiro informaram que aguardam uma decisão sobre o retorno da competição.

O São José também está sem time, pois segundo a diretoria, os contratos só tinham duração de três meses e venceram durante a paralisação. O presidente da agremiação, Paulo Campineiro, informou que o clube desistiu do Campeonato Maranhense 2020. O Juventude Samas não dispensou nenhum atleta. 


Já entre os quatro maiores times do Maranhão, o Sampaio Corrêa, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro neste ano, foi o que mais dispensou jogadores. De acordo com a comunicação do clube, 15 atletas foram dispensados desde que começou a paralisação. 11 atletas foram mantidos.


Em segundo lugar aparece o Moto Club, que dispensou três jogadores. O elenco ainda conta com 22 atletas. Já o Maranhão e o Imperatriz não fizeram nenhuma dispensa até está terça-feira. Sampaio Corrêa, Moto Club e Maranhão informaram que não há previsão de novas demissões para o mês de junho.


Segundo a FMF, não há previsão de nova ajuda financeira por parte da CBF. Em março, a confederação destinou uma cota aos clubes das séries C e D, além dos times de futebol feminino. As federações estaduais também receberam uma cota para manter as instituições e garantir salários.


Campeonato Maranhense 2020


A competição, que começou em janeiro deste ano, não chegou a finalizar nem a primeira fase. Alguns clubes disputaram seis das sete rodadas, já outros como o Imperatriz, disputaram cinco rodadas.


A edição do maranhense deste ano é comemorativa. Marca a centésima vez que a competição é realizada. O regulamento trouxe novidades, como a classificação direta para as semifinais dos dois clubes melhores colocados na primeira fase e o rebaixamento dos dois times com piores resultados também na etapa inicial.


Quando voltar, a previsão é de que o regulamento não seja alterado. Ao GloboEsporte.com, o presidente da FMF disse que a competição será mantida mesmo que o calendário se alongue até dezembro.

Imagem de capa: Reprodução/Instagram FMF