Erros de escalação e postura abaixo no Santos, veja a análise

Dá expectativa de uma boa estreia à frustração em uma derrota, que poderia ter sido até mais elástica. Esta foi a sensação da torcida santista, após o jogo de ontem, contra o Barcelona de Guayaquil, na Vila Belmiro, pela estreia na fase de grupos da Copa Libertadores. A derrota inclusive quebrou uma marca de 37 anos sem derrotas na Vila Belmiro, na fase de grupos da competição.

O técnico Ariel Holan trouxe a campo o time com o improviso do Pará no meio campo, como volante, o que não funcionou, já que o titular Sandry está fora por contusão, mas poderia ter entrado com Vinícius Balieiro, que é da posição. O meio campo, mais uma vez, pouco produziu, dando poucas opções ao ataque, que comandado por Marinho e Soteldo, pouco perigo levaram à meta adversária. Mesmo com as mudanças, o time continuou produzindo pouco, e a derrota foi inevitável.

Sobre as atuações, podemos dizer que o setor defensivo ficou exposto, já que o meio campo não cumpria as coberturas com eficiência. Os alas foram pouco efetivos nas jogadas ofensivas, e a criação do meio campo, mais uma vez, inexistiu. No ataque, o talento individual de Marinho e Soteldo ficou bem abaixo do que se espera de ambos, além da forma de jogar já está bem ‘manjada’, o que facilita a marcação adversária.

Agora para o Santos, é ‘juntar os cacos’, pois na próxima terça-feira, volta à competição para enfrentar o Boca Juniors na Argentina, e uma vitória fora dos seus domínios, será mais do que necessária, tanto para manter vivo o time na competição, quanto para elevar a moral dos jogadores.

OPINIÃO: Durante a coletiva, o técnico Ariel Holan chamou a responsabilidade da derrota para si, mas não se deve considerar que toda a culpa é dele. Ele errou sim, na escalação, quando colocou Pará no meio campo, onde de fato deveria ter entrado com o Vinícius Balieiro, oriundo da posição, e o Pará, de lateral era suficiente. E pode-se dizer que errou também na demora das substituições, além de deixar o jovem atacante Ângelo no banco, que poderia ser o único a mudar de fato o panorama da partida. A outra parte da culpa são dos jogadores sim! O time jogou com apatia, além de ter jogadores como Marinho e Soteldo, que estão mais preocupados em ‘cavar’ uma falta, do que seguir uma jogada, que pode inclusive virar uma jogada de gol. Deve-se lembrar que o técnico Ariel Holan, mesmo tendo alguns dias em Atibaia e podendo conhecer o elenco, tem pouco mais de dois meses a frente do Santos, e não pode se reforçar, devido ao Transferban. A paciência e a confiança na continuidade do trabalho não pode se acabar em apenas uma derrota, ou até mesmo em uma possível eliminação da competição.

Palmeiras na temporada 2022 Brasileiros com mais gols na história do Campeonato Inglês TÍTULO DISTANTE! Veja as notas do Corinthians na derrota para o Palmeiras DOMÍNIO! Os campeões das últimas 10 edições da Liga Saudita de Futebol