Sánchez falou sobre a ‘sensação de retornar a jogar’, e projetou reencontro com antiga comissão técnica

Depois de ficar por quase nove meses fora dos gramados, para se recuperar de uma grave lesão no joelho, e passar por uma cirurgia de reconstrução dos ligamentos, o meia uruguaio Carlos Sánchez, pôde voltar aos gramados e ser decisivo no empate do Santos em 2 a 2 com o Grêmio, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

O meia, que esperava jogar apenas nos últimos minutos, entrou aos 13 minutos do segundo tempo, no lugar de Gabriel Pirani, e deu uma dinâmica no meio campo, que foi decisiva para o empate santista. Em entrevista à Santos TV, o atacante falou sobre o sentimento em seu retorno. “Felicidade, por um esforço muito grande que fizemos, eu, departamento médico com todo apoio da minha família e da torcida. Eu estava com muita saudade de jogar e sempre querendo ajudar o time. Quando eu machuquei, tive o apoio da minha família, e todos como eu, sabíamos que poderia voltar rápido, e isso fortaleceu ainda mais a voltar bem, voltar bem e ficar só com a cabeça em fazer uma boa recuperação, para voltar a fazer o que gosto, jogar futebol e ajudar o time.”

Sánchez também falou da surpresa de ter sido chamado logo no início do segundo tempo, pois esperava entrar apenas nos minutos finais do jogo. “Não achava que ia jogar tanto tempo, achei que ia jogar 5 a 10 minutos, ele (Fernando Diniz) me surpreendeu quando me chamou antes dos 15 minutos do segundo tempo, me causou muita felicidade e emoção quando ele chamou, e pude voltar a jogar e ajudar o time.”

O meia uruguaio também mostrou maturidade de sobra, quando reconheceu que ainda falta um pouco para alcançar o ápice da forma física e ritmo de jogo. “Sim, eu não tenho ritmo de jogo, e aos poucos, vamos melhorando para chegar aos 100% no campo.”

Para o próximo jogo, na Vila Belmiro, o Santos vai reencontrar a comissão técnica de 2020, já que o técnico Cuca não estará no gramado, por ter sido expulso na última partida, e para Sánchez, será um momento importante. “Sim, será muito reencontrar eles (comissão técnica), pois eles ajudaram a gente quando estiveram no clube, mesmo não tendo Cuca em campo, vai ser muito importante”. Ao que tudo indica, Sánchez deve iniciar novamente no banco de reservas, e deve ser opção para o segundo tempo.

(Foto: Santos TV)

Os jogadores que podem sair do São Paulo de graça As notas dos jogadores do Bahia no empate diante do Grêmio É do Galo! Números de Pavón, em 2020-2021 Os 10 melhores jogadores do PSG no FIFA 12