Éder, atacante do São Paulo, detona grupo Suning, dona da Inter de Milão

Após sair da Jiangsu Suning da China para acertar com o São Paulo, o atacante ítalo-brasileiro falou em suas redes sociais sobre o grupo Suning.

Éder chegou ao São Paulo após 15 anos longe do futebol brasileiro, e veio como contatação de peso para a temporada do tricolor paulista. Porém, acabou se lesionando e está em recuperação.

Mas no dia de hoje, em suas redes sociais, o atacante falou a respeito do Grupo Suning, uma empresa chinesa dona do seu ex-clube, o Jiangsu Suning, e da Inter de Milão, time por onde o jogador passou boa parte da carreira.

Em um tweet, o jogador alegou que o grupo Suning está devendo funcionários há 8 meses, uma quantia de aproximadamente 800 euros. Confira o tweet e a tradução abaixo.

“Quando eu disse ‘Espero que não aconteça com a Inter também’ é porque, como torcedor, não queria que acontecesse o que aconteceu conosco em Jiangsu. Depois de vencer e fazer coisas importantes, eles, os chineses (Steven e seu pai), destruíram um ótimo trabalho. Dos jogadores à equipe e aos dirigentes. E agora também na Inter após um ótimo trabalho com o treinador Antonio Conte, eles podem perder tudo, com a necessidade de encherem seus bolsos com 100 milhões de euros. Eles não ligam para o Futebol e funcionários. E pensar que há 8 meses eles não pagam as pessoas que ganham 800 euros por mês.

No Jiangsu Suning, Éder acabou marcando 32 gols e 18 assistências em 62 partidas, e foi campeão chinês com o clube. Já pela Internazionale de Milão, o atacante marcou 14 gols e 8 assistências em 86 partidas. Ambos os clubes pertencem ao grupo Suning, o que acabou ligando o atleta a essa empresa durante 5 anos (2016 a 2021).

Os jogadores que podem sair do São Paulo de graça As notas dos jogadores do Bahia no empate diante do Grêmio É do Galo! Números de Pavón, em 2020-2021 Os 10 melhores jogadores do PSG no FIFA 12