Sckalhe 04 e sua escrita quebrada de quase um ano sem vencer na Bundesliga

Apesar da história nas últimas duas décadas (duas Copas Intertoto, uma Supercopa e uma Copa da Liga Alemã) não ser tão primorosa quanto tempos anteriores, o Schalke 04, um dos times com maior torcida da Alemanha vivia um calvário gigantesco mantendo 30 jogos sem conseguir superar um adversário na Bundesliga (campeonato onde é hepta, mesmo que seis desses títulos sejam da época do nazismo). Além disso, vê o rival Borussia Dortmund em uma fase positiva indo mais longe também na Champions League, até em finais duas vezes com Jurgen Klopp.

O respiro final de grandeza foram em 2011 e 2018 com um elenco comandado pelo técnico Ralf Rangnick e dentro de campo pelo ex-atacante espanhol Raul González ao chegar na semifinal da Liga dos Campeões, além do vice-campeonato da Bundesliga. A vitória sobre o Hoffenheim (4 a 0) não apaga o início horrendo com derrotas para Hertha Berlin, Arminia, Freiburg, Bayer Leverkusen e Wolfsburg (entre outros clubes). Mas pelo menos não repetiu a sequência de 31 partidas sem vencer do Tasmania Berlim em 1965-1966, naquela época a atual capital alemã não tinha representante na divisão principal e escolheram um clube amador para fazer esse papel como convidado.

Vale lembrar que a situação de agora advém da administração fora de campo, sendo que no dia 17 de janeiro de 2021 faria um ano do último triunfo dos azuis royais, sobre o Borussia Mönchengladbach (4 a 1) e para evitar um novo rebaixamento, como aconteceu em 1988 e o consequente retorno em 1991 terá que apostar na continuidade do trabalho de Christian Gross. Além disso, o retorno de Amine Harit aos gramados, após problemas de disciplina é importante para a tentativa de reversão da situação. Em termos ofensivos, a falta de Nabil Bentaleb e a saída de Vedad Ibisevic são sentidas, pois foram somente 12 gols em 15 jogos.

Fora dos gramados, a agremiação fechou o ano de 2020 com déficit próximo aos 50 milhões de euros e um grande ajudante em termos financeiros, ex-presidente bilionário Clemens Tönnies (deixou o cargo em junho) teve que voltar a administração de suas empresas, após declarações racistas e exploração de funcionários. Lembrando que até setembro, o Schalke 04 terá que arcar com dívidas de 86 milhões de euros, cerca de 50% do total de receitas para a temporada. O milagre da permanência passará também pelo aperfeiçoamento de seu sistema defensivo que levou 39 gols até o presente momento.

Foto de capa:  Lukas Schulze/Bundesliga Collection/Getty Images/DFL.

Resta1