CBF planeja representação contra árbitro do VAR, após cotovelada de Otamendi em Raphinha

SAN JUAN, ARGENTINA - NOVEMBER 16: Nicolas Otamendi of Argentina holds Raphinha of Brazil after a foul during a match between Argentina and Brazil as part of FIFA World Cup Qatar 2022 Qualifiers at San Juan del Bicentenario Stadium on November 16, 2021 in San Juan, Argentina. (Photo by Marcos Brindicci/Getty Images)

A CBF promete tomar providências depois da cotovelada de Otamendi em Raphinha ter passado despercebido aos árbitros no empate entre Argentina e Brasil, em San Juan, no estádio Bicentenário. O zagueiro argentino acertou com o cotovelo na boca do atacante brasileiro, que rapidamente caiu sangrando e foi obrigado a levar cinco pontos na boca ainda no vestiário.

Contudo, com o árbitro desatento, o lance acabou não sendo revisado pelo VAR. A Conmebol geralmente divulga os áudios e vídeos dos lances no dia seguinte da partida. Mas depois do protesto do treinador Tite na entrevista coletiva, a direção da Seleção Brasileira prepara representação contra o uruguaio Esteban Ostojich, responsável pelo VAR no clássico desta terça-feira.

O coordenador da seleção principal masculina, Juninho Paulista, solicitou ao presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodríguez, e ao vice-presidente Gustavo Feijó, que acompanha a seleção, para afastar o árbitro uruguaio de partidas do Brasil. Ostojich esteve em outros confrontos decisivos entre Brasil e Argentina. Mais recentemente ambas as seleções reclamaram nos últimos duelos.

O árbitro apitou a final da Copa América de 2021 e, para muitos, segurou muito a partida ao marcar várias faltas na partida que terminou em 1 a 0 para a Albiceleste. Já em 2019 na semifinal da Copa América no Mineirão, ele apitou e provocou raiva aos argentinos e, sobretudo, de Lionel Messi. Os jogadores reclamaram de pênalti em Sergio Agüero e, no segundo gol do Brasil, pediram falta de Arthur em Otamendi, mesmo pivô do lance no empate de San Juan.

O treinador Tite reclamou bastante do que considerou erro grave da revisão de lance pelos profissionais do VAR, chefiados pelo árbitro uruguaio. “É simplesmente impossível, vou repetir, é simplesmente impossível, não ver a cotovelada do Otamendi no Raphinha”, reclamou o técnico da Canarinho.