Papo tático

 

Cheguei para taticar. Para causar. Muito prazer e sejam todos bem-vindos. Já ouviram da expressão “quem sabe faz ao vivo”? a real situação do nosso Brasileiro 2015. Há quem resolva e há os que adotam coitadismo. Querem ver? E no final vocês verão que não conversa de pescador.

Dorival Junior, o homem que tem do DNA do Santos Futebol Clube e o homem do mata-mata. Para quem só analisa resultado, acha que ele se deu bem por ter pego um time já campeão paulista. Tolice. O alvinegro passou por uma série de dificuldades no início deste ano e fez os camaradas darem liga. O Santos não entrava no G4 desde 2010 e, no papel, tem um time jovem, que joga num 4-3-3 de grife com muitas revelações, com um artilheiro veterano que é igual ao vinho (desculpem o clichê).

Oswaldo de Oliveira, ou Oxxxxvaldo, como vocês preferirem é o rei das boas desculpas. Com um clássico – ou arcaico, na minha opinião- 4-5-1 ou o “moderno” 4-2-3-1, a desculpa de sempre de é de time em formação ou falta de peças. E no Palmeiras tinha quase 30, hein? Aliás, quase 30 contratações de Paulo Nobre no ano, e às vésperas do fim do campeonato, o meio de campo é inexistente. Agora, no Flamengo, um time com boas receitas e com redução de contas, tem a zaga medonha, as laterais nem se fala e no meio e ataque, às vezes é possível “dar liga”. Com caô ou sem caô, a arrancada foi freada e o poder de reação do time é nulo.

Em contrapartida, deixo meus elogios ao jovem Roger Machado, que coloca em prática seus 7 anos de estudos, desde que se aposentou até o término do curso de educação física. Roger é da casa e após o fim da passagem de Felipão (que não deixou saudade para os gremistas) fez o time jogar. Com 62,7% de aproveitamento, o Tio Roger levou o Grêmio de “rebaixado” à briga do titulo e possível classificação para libertadores. Isso tudo com um elenco mediano, viu Oswaldo?

Sobre os cursos de capacitações na Europa, vejo como uma necessidade natural. Ser país do futebol, não quer dizer que retrocesso pedir ajuda aos europeus. Nossos técnicos e alguns comentaristas precisam deixar a soberba de lado. Baixar a bolinha. Podemos notar belíssimos trabalhos atualmente. Mesmo sendo um multi-campeão, Tite não mediu esforços para dedicar um ano de constante estudo. O time compacto e leve. Joga no charmosíssimo 4-1-4-1. Todos os seus jogadores marcam e de “econômico” em relação a gols, não tem nada. Mano Menezes e o Dorival, citado ali em cima, também fizeram cursos de capacitação na Europa. Aliás, o Mano um grande formador de bons elencos e em duas oportunidades deixou a casa pronta para o Tite e agora vem arrumando sua casa no Cruzeiro. Indo um pouco mais pra longe, Vagner Mancini, na série B, também  é outro que foi se reciclar e faz bom trabalho no Vitória.

Ah, velha guarda… Por que tanta dificuldade em aceitar o novo e deixar essa zona de conforto? Por que criticar os estudiosos do futebol? Enquanto isso, Tite, Levir, o pupilo de Tite (Roger) e Dorival Junior estão na briga pelo titulo. E no venham me dizer que isso é só coincidência.

Eu sou Vitória Cristina e tenho um nome à taticar. E taticar vem daquilo que mexe com a cabeça de todo mundo. Vem comigo!

Paulo Sousa promete quebrar o silêncio e falar sobre período no Flamengo FIFA 23: saiba tudo sobre o novo sistema de aceleração do game CRAQUES! Relembre os maiores artilheiros do Flamengo no século 21 COM MUDANÇAS! A provável escalação do Fluminense diante do Atlético-GO