Un día como hoy: Fábio pegava três pênaltis na Copa do Brasil

A conquista da Copa do Brasil de 2018 do Cruzeiro passou pelas mãos do goleiro Fábio, especialmente na fase de quartas de final quando os pênaltis trataram de decidir quem iria avançar à semifinal, a Raposa ou o Santos. O jogo foi com reviravoltas. O então time de Mano Menezes saiu vencendo com gol de Thiago Neves, mas tomou a virada santista com Gabriel Barbosa e Bruno Henrique.

Un día como hoy rememora grandes dias, feitos, nomes, canchas e muito mais que envolve o futebol sul-americano. Há dois anos, na campanha do único hexacampeão e até hoje o único time a ser bicampeão seguido da Copa do Brasil, um goleiro escreveu ainda mais a história no nome da competição e do Cruzeiro.

Aquele embate foi o décimo seguido que o Cruzeiro avançou na Copa do Brasil (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

O triplete de goleiro

Atual campeão da Copa do Brasil naquela noite de 15 de agosto no Estádio Mineirão, o Cruzeiro era o favorito diante de um Santos ainda em formação com o treinador Cuca. Por ter vencido a competição em 2017, entrou nas oitavas de final e passou pelo Athletico Paranaense com 3 a 2 no placar agregado. O rival seguinte foi o Santos. No jogo de ida, na Vila Belmiro, Fábio fez suas defesas e Raniel decidiu a vitória por placar mínimo no terço final da partida.

No dia do triplete de Fábio, a equipe de Mano Menezes entrou com o goleiro Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Hernán Barcos; já o time de Cuca veio com Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Dodô; Renato. Diego Pituca, Arthur Gomes, Rodrygo e Bruno Henrique; Gabriel Barbosa.

A partida começou com o Cruzeiro tomando as ações e achando seu gol com chute de Thiago Neves aos 12 minutos do primeiro tempo. Com o gol, o agregado estava 2 a 0 para a Raposa. Assim, Mano Menezes recuou o time e o Santos, precisando de dois gols, veio para cima. Gabigol chutou de fora da área e empatou a partida. O segundo tempo foi de chances para os dois lados. O gol da virada veio aos 39 minutos do segundo tempo. Bruno Henrique fez de cabeça no ângulo.

Thiago Neves foi o autor do gol celeste (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

O resultado levou a partida para os pênaltis e a história de Fábio naquela noite começava a ser escrita. Foram seis pênaltis, três para cada lado. Lucas Silva fez seu gol. Fábio defendeu a cobrança de Bruno Henrique. Raniel foi o segundo a bater pelo lado azul e mandou no ângulo. Fábio aumentou a contagem e pegou o pênalti de Rodrygo.

O último pênalti do Cruzeiro foi com David, que bateu fraco no meio, mas entrou. Jean Mota foi o encarregado de bater o terceiro do Santos. Fábio apanhou novamente para explosão do Mineirão. Foi a primeira vez que o arqueiro pegou três pênaltis em sequência com a camisa celeste, garantindo a vaga na semifinal da Copa que a Raposa levaria.

Após as três defesas, todo mundo abraçou o herói da partida (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Foto de capa: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Resta1