Un día como hoy: Messi estreava com a camisa da Argentina

Lionel Andrés Messi Cuccittini, de 33 anos, é um dos maiores jogadores da história da Argentina, do futebol e da história de seu único clube, o Barcelona. Mesmo com rumores de sua saída do time culé, quando se fala em Argentina, Messi coleciona jogos, gols, a camisa 10 e, no dia de hoje, completa 15 anos de sua estreia na Seleção Argentina.

Tudo poderia ser arruinado se Messi aceitasse uma proposta da Espanha para atuar pela ‘La Furia’. A escolha foi a de ser jogador da bicampeã do mundo, Argentina. Quando tinha somente 18 anos, José Pékerman foi o responsável por colocar o menino de Rosário, província de Santa Fé, no plantel principal argentino. Assim, un día como hoy, em 17 de agosto de 2005, diante da Hungria em amistoso no Ferenc Puskas, em Budapeste, ‘La Pulga’ estreava.

A estreia pela Albiceleste não foi a forma mais perfeita de começar uma história pelo time de seu país. A equipe de Pékerman já tinha garantida a participação na Copa do Mundo de 2006 e estava em preparação para a mesma. No banco da equipe, um jovem que viria a ser o maior artilheiro argentino com 70 gols.

A escalação do dia era com Leo Franco; Scaloni, Ayala, Heinze e Sorín; Lucho González, Bernardi e Maxi Rodríguez; D’Alessandro; Lisandro López e Crespo. A partida terminou em 2 a 1 para os sul-americanos. Maxi Rodríguez aos 17 do primeiro tempo e Gabriel Heinze também aos 17, mas da etapa final, fizeram os gols argentinos. Sandor Torghelle fez o gol húngaro.

Messi entrou logo após o segundo gol argentino, aos 18 minutos, com a camisa 18, substituindo Lisandro López. Menos de um minuto em campo e ele foi expulso. O canhoto recebeu a bola, fez sua jogada característica com a perna canhota de buscar o drible em direção ao gol e sofreu uma falta. Porém, revidou com uma cotovelada e tomou o cartão vermelho do árbritro alemão Markus Merk. Essa foi a primeira expulsão de Messi na carreira. A segunda foi também pela Argentina, na Copa América 2019, no Brasil, diante do Chile na disputa de 3° lugar.

Seu primeiro gol veio em março de 2006 na derrota para a Croácia por 3 a 2 em amistoso antes da Copa do Mundo. Ao todo, balançou as redes 70 vezes em 138 com a Seleção Argentina. Ele é o maior artilheiro e o terceiro com mais jogos, atrás apenas de Javier Mascherano e Javier Zanetti. Pelo time principal, teve apenas campanhas de destaques como o vice da Copa do Mundo em 2014 e os três vices de Copa América (2007, 2015 e 2016), nenhum título. Pelo sub-20, foi campeão mundial e pelo sub-23 que disputou as Olimpíadas de 2008 foi medalhista de ouro.

Foto de capa: AFA

Resta1