Morumbi vazio, futebol mais ainda: São Paulo empata com River Plate

Em partida que marcou a volta da Libertadores para ambas equipes, São Paulo e River Plate empataram em 1 a 1. Em relação à classificação, o empate para o Tricolor foi ruim. Mas, pensando em como a partida desenrolou, não perder foi lucro. Futebol vazio, para combinar com o Morumbi. Para os argentinos, que não atuavam há seis meses, a situação na fase de grupos é mais tranquila.

Análise da partida: 1º Tempo

Quem viu os 10 primeiros minutos de São Paulo e River Plate, animou-se com a intensidade dos dois times. Ainda assim, do lado do São Paulo, mais ações ofensivas encaixaram. Desse modo, aos 11 minutos de jogo, o time trabalhou bem, Reinaldo finalizou mal, mas a bola desviou em Enzo Pérez e morreu nas redes de Armani. Gol contra do Argentino.

Logo após, o time de Fernando Diniz se acomodou. Dessa maneira, sete minutos depois, em falha de posicionamento e entendimento do lado esquerdo defensivo tricolor, Rafael Santos Borré só precisou concluir para empatar. Como resultado, o bom River se impôs em pleno Morumbi. Da mesma forma, muitos erros de passes representaram o psicológico instável do São Paulo.

Com um bom encaixe individual na pressão alta executada pelos Milionários, o clube da capital paulista se mostrou perdido em campo. Ao final do primeiro tempo, o Morumbi tinha mais cara de Monumental de Nuñez. Ainda assim, o primeiro tempo terminou empatada em 1 a 1.

Análise da partida: 2º Tempo

Para o segundo tempo, o São Paulo não alterou a equipe, da mesma forma que o River. Mas, diferente do primeiro tempo, o São Paulo iniciou a etapa mal. Nos primeiros 20 minutos, o time de Gallardo amassou o time de Diniz no campo defensivo. Muito intenso, o time argentino dominou a partida, fato que pode ser representado pelos números. O River recuperou 5 bolas a mais e desarmou 7 vezes mais do que o Tricolor.

Apesar da má partida do São Paulo, Fernando Diniz não mexeu na equipe antes dos 23 minutos do segundo tempo. E logo após a substituição, em outra bagunça posicional da defesa tricolor, o River, merecidamente, virou a partida com Julian Álvarez. Porém, o que o Tricolor não havia feito em todo o jogo, fez após sofrer o gol. Adotou postura mais ofensiva e, com boa subida de Reinaldo, em cruzamento na área, novamente um jogador do River Plate desviou contra seu próprio gol.

Posteriormente, Diniz mudou peças para buscar a virada. Mas, mesmo assim, quem quase tomou a frente foi o River. A partida terminou com uma tentativa desesperada de criação do São Paulo, porém ser saber muito bem como furar o sólido e experiente time argentino.

O 2×2, antes de começar a partida, era ruim para as ambições do São Paulo. Ao mesmo tempo que devido ao mau jogo, não perder saiu como um “lucro”. Com isso, o terceiro lugar do grupo ficou com o São Paulo nessa rodada. O River é vice líder, com a mesma pontuação, mas com apenas um jogo fora de casa nos próximos três.

Escalações

São Paulo: Tiago Volpi, Igor Vinícius, Diego Costa, Léo Pelé e Reinaldo; Tchê Tchê, Hernanes, Igor Gomes, Gabriel Sara (Toró) e Vitor Bueno (Paulinho) ; Pablo (Brenner).

River Plate: Armani, Montiel, Pinola, Martinez Quarta e Angileri; Enzo Pérez (Sosa) , De La Cruz (Cristian Ferreira) , Ignacio Fernandez (Ponzio) e Julián Álvarez, Matías Suárez (Carrascal) e Rafael Santos Borré.

Resta1

Guilherme Azevedo

Sou estudante de Jornalismo pela UFSJ (Universidade Federal de São João del Rei).